terça-feira, 20 de maio de 2014

Resenha: Stieg Larsson Antes de Millennium


Oi, gente!

Para retomar as atividades bloguísticas, escolhi a biografia de Stieg Larsson em quadrinhos. Em apenas 64 páginas, uma breve incursão pela vida do criador da sensacional Trilogia Millennium.

O livro foca em três momentos distintos da vida do autor: a infância nas florestas geladas ao lado do avô, uma passagem pela Eritréia como guerrilheiro e o lançamento da revista Expo nos anos 90, em Estocolmo.

Stieg passou seus primeiros anos de sua vida com os avós, o que era bem comum em uma época em que os jovens partiam para as grandes cidades da Suécia atrás de trabalho e dinheiro, deixando os filhos a cargo de seus próprios pais. É com o avô, Severin, que Stieg tem o primeiro contato com ideais políticos e é então que a sementinha do jornalista revolucionário é plantada.

Num segundo momento, Stieg vai para a África como jornalista, mas, na verdade, sua função lá era usar sua experiência com armamento pesado adquirida no exército para treinar um grupo de mulheres guerrilheiras. Em uma realidade totalmente diferente da sua, Stieg se espanta com a força daquelas mulheres e passa a admirar ainda mais o sexo feminino.

No último momento retratado, Stieg está plenamente envolvido no combate à extrema direita e, com a ajuda de Eva Gabrielsson, amiga, sócia e namorada, funda a Expo, uma das mais importantes revistas suecas a expor a podridão da política. É perseguido e ameaçado de morte. Ao mesmo tempo, a notícia de duas jovens mortas (1 pelo namorado e 1 pelo próprio pai, ao se recusar a aceitar um casamento arranjado) é o estopim que faltava a Stieg para se dedicar ao romance. Decidido a dar voz às mulheres e a expor a conivência da sociedade com tais crimes, ele começa a escrever a série “Millennium”, que vira um fenômeno mundial de vendas – do que, infelizmente, o autor nunca pôde desfrutar, devido ao ataque cardíaco que sofreu logo após entregar os três primeiros livros para publicação.

Embora a história seja bem resumida, dá uma boa ideia de quem era Stieg Larsson. É possível ver nos trechos escolhidos de sua biografia a inspiração para os personagens de Millennium (Mikael Blomkvist representa ele mesmo, Erika Berger é claramente Eva Gabrielsson, Lisbeth Salander é uma mistura de uma garota que sofre um estupro coletivo na adolescência [testemunhado por Larsson], das mulheres africanas com quem conviveu nos anos 70, das jovens assassinadas que estampavam os jornais suecos e também de sua sobrinha).

Achei interessante e gostei dos traços. Não aprofunda a história do biografado, mas destaca momentos importantes de sua vida e deixa um gostinho de ‘quero mais’. 


Indico para fãs do Larsson, para quem curte biografias e para quem não tem o hábito de ler esse tipo de livro e quer começar a se aventurar pelo gênero.


Este post faz parte do Desafio Literário Skoob 2014 - Mês de Maio: Biografias. Para ver a lista de obras selecionadas e outros posts do DLSkoob2014, clique AQUI. 

3 comentários:

Sarah disse...

Que legal Mi, fiquei super interessada na história. Eu prefiro biografias em texto mesmo, acho mais detalhistas e profundas. Mas a versão em quadrinhos realmente é um bom começo para quem não costuma ler biografias.
bjos

Jacqueline Braga disse...

oie Mi
não conhecia o quadrinhos, mas já amei. Stieg foi pra África :O mas gente, muita coisa eu não sabia, e agora bateu vontade de ler.
bjos
www.mybooklit.com

Lua Lima disse...

Nossa, eu nunca imaginei que Millenium fosse baseado nas suas atividades, sim eu sabia que ele jornalista, mas não que o foco do livro fosse suas próprias experiências.
Nunca li uma biografia em quadrinhos, deve ter sido bem interessante.
Adorei a resenha.
bjs,
Luana