domingo, 17 de fevereiro de 2013

Oscar 2013: No



A história se passa em 1988, na época do referendo ocorrido no Chile, e nos coloca no meio da disputa das campanhas do "Sim", pela permanência de Augusto Pinochet no poder, e do “Não”, pelo fim da ditadura e restauração da democracia. René Saavedra (Gael García Bernal) é um exilado que, de volta ao país, trabalha em uma agência de publicidade. Considerado uma promessa da área da propaganda, logo é convidado a colaborar com a campanha do "Não".


A grande sacada do diretor foi filmar com câmeras usadas nos anos 80, o que deu ao filme uma veracidade incrível. Não dá para distinguir visualmente o que foi produzido para o filme e o que faz parte dos arquivos reais de época. Assim, embora não seja um documentário, o filme funciona com tal, resgatando acontecimentos e misturando-os com a ficção em uma empolgante trama da vitória da democracia no Chile.


Além disso, é uma aula de publicidade e faz uma crítica ao poder manipulador da mídia. É muito bacana ver o surgimento das ideias e seu amadurecimento e execução. Lógico que a pressão do governo deixava tudo mais difícil. Os membros da equipe de criação da campanha do "Não" eram constantemente vigiados e ameaçados, e tinham que mostrar toda a sua criatividade não apenas na tela, mas também na vida real, para se safar de enrascadas.


Gael, como sempre, não decepciona. Sua relação com o dono da agência (interpretado por Alfredo Castro) é muito interessante, oscilando entre companheiros de trabalho, oponentes nas campanhas do plebiscito e amigos fora do escritório. Peculiar também é seu relacionamento com Verónica (Antonia Zegers), ex-esposa, mãe de seu filho e militante.


Um ótimo filme, que conta mais um capítulo da história recente da ditadura na América Latina, mostrando os anseios e temores do povo chileno e como o pensamento inovador de um grupo de publicitários influenciou a opinião pública e mudou o futuro de um país. Tinha tudo para levar para casa a estatueta de Melhor Filme Estrangeiro. Pena que foi indicado no mesmo ano e na mesma categoria que “Amor”. Aí fica difícil, né?

**************

No é indicado ao Oscar 2013 na categoria de Melhor Filme EstrangeiroPara ver os outros indicados que já passaram pelo blog, clique AQUI. 

4 comentários:

Tati disse...

Ai Gael <3 O segundo homem mais lindo do mundo, na minha humilde opinião (o primeiro é meu marido claro kkkk)
Não consigo assistir um filme dele sem ficar suspirando hahaha E nesse ele parece estar paricularmente lindo.
Enfim, tietagens à parte, estou muito curiosa pra ver esse filme. Acho muito importante entender esses processos das ditaduras latino americanas para evitarmos que volte a acontecer. Década de 80 foi ontem, ainda é tudo tão recente e tão nebuloso.
Beijos!

lualimaverde disse...

Michelle, estou com uma invejinha de você porque não estou conseguindo ver os filmes do oscar (este ano parece ter muita coisa boa). Você está conseguindo baixar em boa qualidade? Beijo! =)

Michelle disse...

É verdade, Tati. Além de ser um ótimo ator, o cara ainda é muito gato. Acho que o único filme em que nem reparei na beleza e, na verdade, fiquei com ódio e nojo do bonito foi em "Ensaio sobre a cegueira". O personagem do Gael é muito desprezível! (mais uma prova do talento do moço). O filme é muito bom mesmo! Assista, se puder.

Luciana,
Estou sim. Os que estão em cartaz eu procuro ver no cinema, mas os outros eu baixei no http://www.omelhordatelona.biz/. Tem todos os filmes e com ótima qualidade ;)

livroseoutrasfelicidades disse...

Mi, agora que consegui li, posso dizer: eita filme bom!
bj