terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Resenha: Dois irmãos


Yaqub e Omar são irmãos gêmeos, daqueles com personalidades totalmente opostas: enquanto o primeiro é um aluno exemplar, tímido e independente, o outro é arruaceiro, chegado em noitadas repletas de sexo e birita, mas ao mesmo tempo não sai debaixo da saia da mãe. O ódio entre os dois, iniciado desde tenra idade, só aumenta com o passar do tempo, o que coloca a família em constante estado de alerta para um confronto fatal que todos sabem que mais dia, menos dia acontecerá.

A história é contada por um narrador que ficamos sem saber quem é durante muitas páginas. Seu relato avança e retrocede no tempo, misturando cenas que ele presenciou com acontecimentos revelados por outros personagens, especialmente Halim, pai dos gêmeos e esposo de Zana. Quanto ao narrador desconhecido, a certa altura descobrimos que ele é filho da empregada, Domingas, que nunca lhe disse quem era seu pai, mas que ele tem certeza de que é um dos homens daquela casa.

Em retrospecto, conhecemos as origens do relacionamento entre Halim, mascate libanês, e Zana, a filha do dono do restaurante que também vinha do Líbano. Vivenciamos com o casal suas tristezas e dificuldades e seu romance caliente que dura até o nascimento dos gêmeos, a contragosto de Halim. Omar, o segundo a sair do ventre da mãe, nasce frágil e cresce cercado de cuidados excessivos, mesmo depois de adulto. Yaqub, por sua vez, é relegado aos cuidados da empregada, e percebe desde cedo a diferença no tratamento que recebia da mãe.

Como se não bastasse a disputa pelo amor materno, os dois ainda acabam se apaixonando pela mesma garota na adolescência – mais um motivo para aumentar o ódio entre eles, intensificado pela decisão questionável do pai de enviar Yaqub para o Líbano, enquanto o Omar continua sendo ainda mais paparicado pelas mulheres da casa. Sim, parece que Omar enfeitiça todo exemplar do sexo oposto, começando por sua mãe e passando pela empregada e pela irmã, Rânia, que não mede esforços para agradar o maninho.

‘Dois Irmãos’ é uma história de ódio fraterno, é claro, mas vai muito além. É um panorama de Manaus em meados do Século XX, rememorando seus dias de glória e de decadência. É uma trama sobre a construção de identidade, tanto no sentido da transformação de crianças em adultos quanto com relação à vida dos imigrantes em um país estranho. É uma cutucada nas missões religiosas que arruinaram as crenças indígenas, ‘domesticando’ membros das tribos para servir de empregados/escravos dos brancos endinheirados que se instalaram pelo Norte do país. É uma história de família, de amor que se desgasta, de decisões que levam ao infortúnio, de uma mãe que age com zelo doentio em relação a um filho e negligência com o outro, que impede a filha de ser feliz e a condena ao ostracismo, de um rapaz em busca de suas origens. É uma história de tragédia anunciada cheia de camadas e nuances que merece ser lida.

“Alguns dos nossos desejos só se cumprem no outro, os pesadelos pertencem a nós mesmos.”

Nota: 5/5

Sobre o seriado 
‘Dois Irmãos’ virou seriado da Globo este ano. Até agora, assisti aos 3 primeiros capítulos e estou gostando muito. A fotografia é lindíssima e a estrutura da narrativa, com avanços e recuos no tempo, é mantida. Há um toque sobrenatural na trama que não existe no livro, mas estou achando interessante. As únicas reclamações que tenho a fazer por enquanto são com relação ao ator que faz os gêmeos adolescentes (achei bem ruinzinho) e a essa mania extremamente irritante das produções do canal de enfiar expressões estrangeiras a cada 3 palavras pronunciadas para enfatizar a origem dos personagens – não precisa disso! É sério. Serve mais para criar bordões que o povo repete feito papagaio do que para validar a natureza ‘importada’ dos sujeitos. 

Este post faz parte do Desafio Volta ao Mundo em 80 Livros[Brasil].
Para ver a apresentação do projeto e a lista de títulos/resenhas, clique AQUI ou no banner na coluna à direita.

3 comentários:

Nice disse...

Michelle,

não sei se vc conhece, mas tem um quadrinho adaptando o livro. É do Fábio Moon e Gabriel Bá.

Unknown disse...

Amei esse livro!
Mas ainda não vi a série. Quero tentar ver nos próximos meses. Sei que muita gente gostou.

Michelle disse...

Nice,
Sim! Sou louca pra ler esse livro. Ainda está na minha listinha de querências :)

Jeniffer,
Estou gostando, apesar desses detalhes que comentei.