quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Filme: Moonrise Kingdom (Moonrise Kingdom)


O filme começa com a câmera passeando pelos cômodos de uma casa, atravessando paredes, mostrando cenas do cotidiano dos moradores e parando em uma garota que espia pela janela usando um par de binóculos. As cores saturadas e o ângulo escolhido para a filmagem nos dão a sensação de estar dentro de uma casa de bonecas. Como descobrimos em breve, esse é apenas o primeiro estranhamento da história.

Um narrador idoso aparece para contar em retrospecto a incrível história de amor protagonizada por Suzy Bishop (Kara Hayward) e Sam Shakusky (Jared Gilman) e a terrível tempestade que atingiu a ilha de New Penzance, na costa da Nova Inglaterra, e como esses dois fatos mudaram destinos. Vemos então Suzy colocando em prática seu plano de fuga. Na mala, em vez de roupas e provisões, ela leva o que importa em sua vida: seu gato, os livros preferidos, os binóculos e um toca-discos.


Ao seu encontro vai Sam, escoteiro órfão membro do Acampamento Ivanhoé. Acostumado à vida ao ar livre, ele se encarrega do meio de transporte, do abrigo, dos utensílios e instrumentos com os quais conseguiria alimento e faria sua própria defesa e a da amada.


Atordoados com o desaparecimento dos jovens ficam os pais de Suzy (interpretados por Bill Murray e Frances McDormand), casal de advogados que mantém um casamento de aparências. Para ajudar nas buscas, o Capitão Sharp (Bruce Willis), da guarda costeira, e o Escoteiro-Chefe do acampamento, Randall (Edward Norton), também são acionados.


O interessante do filme é que ele apresenta uma história de amor juvenil de forma singela, realista, mas ao mesmo tempo sonhadora, que mistura a inocência dos protagonistas de “Meu Primeiro Amor” com a descoberta da sexualidade de "A Lagoa Azul" sem forçar a barra em momento algum. É lindo ver a dedicação que Sam demonstra a Suzy e como ela consegue confiar nele. Em comum, ambos têm a solidão, a estranheza, a falta de amigos. Além disso, suas diferenças os completam: ele queria ter uma família; ela (que tem irmãos, pai e mãe) queria ser órfã e especial como as heroínas dos livros que tanto aprecia.


Os personagens adultos agem como crianças, são inseguros, infelizes e tão solitários quanto os protagonistas. O ato de coragem dos jovens dá novo sentido à vida dos mais velhos, os faz enfrentar os problemas jogados para baixo do tapete. O filme é, acima de tudo, uma fábula sobre amizade e busca pela felicidade. Imperdível.

**************

Indicado ao Oscar 2013 na categoria de Melhor Roteiro Original.

2 comentários:

livroseoutrasfelicidades disse...

Mi, parece bem meu gosto. Você viu no cinema ou em dvd?

Michelle disse...

No cinema, mas não sei se está passando ainda. Se não estiver, é fácil de achar para download.
bjo