sexta-feira, 5 de abril de 2013

Série: Bates Motel - Temporada 1






Gênero: Drama, Suspense, Thriller
País: Estados Unidos
Ano: 2013
Temporada: 1
Episódios: 10
Duração dos Episódios: 50 minutos
Exibido Originalmente por: A&E






“Bates Motel” é uma série de 10 episódios que serve de prelúdio ao filme “Psicose”, do Hitchcock. No show, acompanhamos a juventude de Norman Bates e a perturbadora relação dele com sua mãe, Norma. Como um garoto aparentemente normal se transformou em um dos mais assustadores serial killers dos Estados Unidos? É isso o que vamos descobrir.


O jovem Norman Bates é interpretado por Freddie Highmore, o fofo Charlie da versão de Tim Burton de “A Fantástica Fábrica de Chocolate”. Embora já esteja crescidinho e, na série, tenha 17 anos, continua com cara de bonzinho, de filhotinho abandonado que implora para ser levado para casa. Acho que foi uma escolha acertada, e a docilidade passada pelo ator lembra, de um jeito meio sinistro, o Norman psicótico com cara de inocente vivido por Anthony Perkins no filme original.


Já o papel de mãe controladora fica a cargo da sempre competente Vera Farmiga. A atriz consegue cativar e assustar na mesma medida, quando age como mãe amorosa que luta para criar sozinha o filho e quando mostra seu lado chantagista e egoísta, que quer afastar Norman das outras pessoas para tê-lo só para si.


A história começa com a compra do motel e a mudança de mãe e filho para o estabelecimento, seis meses após a morte do pai de Norman. Logo na chegada, a dupla é recebida com xingamentos e ameaças pelo antigo dono da propriedade, e, o que era para ser um recomeço cheio de possibilidades, acaba se transformando em um inferno. E esse é apenas o primeiro de uma série de problemas.


O bacana da série é ver na tela o passado de um dos personagens mais intrigantes do cinema. Embora alguns fatos mencionados no filme sejam pincelados na série, nada garante que a trama chegará de fato aos eventos mostrados em “Psicose”. Na verdade, dá para assistir ao programa numa boa, mesmo sem nunca ter visto o filme. A relação doentia entre Norman e Norma é interessante o bastante para prender a atenção.


Além disso, desde o primeiro episódio são lançados enigmas que ficam martelando na cabeça (e que devem ser solucionados ao longo da temporada). Por exemplo: o pai de Norman aparece caído no chão em meio a sinais de luta; a imagem mostra o corpo e o garoto correndo para chamar a mãe, mas não sabemos se foi ele quem o matou; a mãe surge saindo do banho e sem pressa nenhuma para ver o que aconteceu, como se soubesse exatamente o que se passou; teria sido ela a autora do crime? Outra pergunta que fica no ar é: Por que Norman e a mãe vivem de mudança? Muuuuuuuitas interrogações!


Sem contar que os moradores de White Pine Bay (sim, a cidade não é a mesma do filme) também parecem guardar muitos segredos e o clima de mistério está presente o tempo todo. Até agora, vi apenas os 2 primeiros episódios, mas, pelo que pude perceber, as inusitadas tramas paralelas devem ganhar força (só vou dizer algumas palavras: mangá, exploração sexual, drogas). Espero que não se empolguem demais na mistura, tentando atirar para todos os lados a fim de alcançar todos os públicos.


Aliás, tenho que falar uma coisa que me incomodou bastante: o contraste do antigo com o novo. Embora a história seja anterior àquela apresentada em “Psicose”, a trama se passa nos dias de hoje. Confuso, não? Sabemos que os personagens deveriam viver nos anos 50 (o motel e sua decoração ultrapassada não deixam dúvida disso), mas vemos telefones celulares e mp3 players a toda hora. Sei lá, achei estranho. Entendo que seja apenas mais um recurso para atrair o público jovem, mas para mim não funcionou.  


Independente desses detalhes, a série promete. Eu já viciei. Assisti aos dois episódios de uma vez e fiquei ansiosa para ver os próximos. O show estreou nos Estados Unidos no A&E, em 18 de março de 2013, e atingiu audiência recorde para séries originais daquele canal. Por aqui, ainda não temos previsão de exibição, mas a internet está aí para ajudar, não é mesmo? Para quem ficou curioso, dê uma espiada no site do programa. Além disso, existe um joguinho bem bacana ao estilo The Sims. E, se tiver coragem, não deixe de fazer o tour virtual pelo macabro Bates Motel!

8 comentários:

Isabel disse...

Eu ia marcar Bates Motel como "para ver" no Banco de séries, mas acabei desistindo. Por que? Bom, esse clima macabro meio que me dá medinho hihi Mas amei tua resenha, vc escreve muito bem!

Maura C. Parvatis disse...

Eu nunca assisti Psicose, me sinto a excluída da sociedade por isso e... HUSHAUSHAUS
É, preciso comprar o DVD desse filme, baixar na internet, locar na locadora - se existir alguma ainda, hehe.
Fiquei bastante interessada na série, quem saiba eu a assista quando vier para cá!
Você citou o seu incômodo com relação ao fato da história se passar nos anos 50 e o menino aparecer, na foto, com um celular/mp3, eu parei um minuto e pensei: O que será que deu na cabeça dos produtores/roteiristas/da galera que está fazendo a série em colocar isso, como você disse atrair o público jovem, mas... que, estranho mesmo, né, talvez isso me incomode quando assistir.

Beigos,
Maura - Blog da /mauraparvatis.

Michelle disse...

Oi, Isabel!
Obrigada pelo comentário! Bom, se você não é muito fã de clima macabro, realmente é melhor manter distância. Mas para quem curte, é um passatempo de primeira.

Maura,
Nossa... locadora é raridade ultimamente, né? Mas dê um jeito de assistir porque é muito bom!

ConversaCult disse...

Não conhecia a série o.o Nem sabia que tá sendo feita, mas me chamou atenção. Só não começo a assistir porque eu to atrasada com todas as outras e vou esperar terminar pra ver se tá valendo mesmo. Você podia comentar aqui no blog depois de assistir tudo dizendo o que achou ;x

E gente... vi os comentários ali em cima. Locadora não é uma raridade! HAUHA Eu alugo às vezes. u.u

-Dana

Michelle disse...

Dana,
Eu sigo acompanhando a série incansavelmente e até agora estou adorando. Volto para fazer a atualização quando a temporada terminar ;)
As locadoras não estão completamente extintas, mas caminham nessa direção, infelizmente.

lulunettes disse...

Assim como a Maura, ainda não assisti Psicose (vou reparar esse erro em breve). Hoje terminei a 1ª temporada de Bates Motel e adorei!
Gostei bastante do seu texto e queria saber sua opinião geral sobre a série. Mas, vamos ao post em questão: também achei a escolha do (fofo) Freddie Highmore certa e concordo com os pontos que você destacou. Vera Farmiga está igualmente excelente! Ela tem um olhar muito expressivo. Em relação à tecnologia, esse detalhe não me incomodou, mas é verdade que o objetivo dessa inclusão foi para atrair os jovens. No geral, achei a série ótima e viciante!
Tenho certeza que você já sabe, mas não custa nada comentar ^^. Em agosto será lançado uma nova edição (capa dura e brochura) do livro Psicose, do Robert Bloch *ansiosa*.
Beijos, Michelle!

Michelle disse...

Oi, Lulu!
Então... assista "Psicose" o quanto antes!
Eu gostei muito da série, até o fim. Meu medo de que o excesso de tramas paralelas deixasse a série confusa e sem direção não se confirmou (felizmente!). Mal posso esperar pela segunda temporada.
Quanto ao livro, já garanti o meu...hehe!
bjo

lulunettes disse...

Michelle, quero assistir o filme depois de ler o livro ;D
Poderia ter dado errado... Felizmente o seu medo não se confirmou. Espero que a próxima temporada seja igualmente boa, ou melhor, mas nada que se estenda ou fique confuso. Achei o final da 1ª temporada excelente, redondo. Se não houvesse uma sequência para mim já bastava. Entretanto, não posso negar que fiquei bastante feliz com a confirmação da 2ª temporada, e triste por ter que esperar até 2014, rs.
Vi no seu facebook e eu quero o meu exemplar, rs \o/
Bjs!!