sábado, 29 de junho de 2013

Tag: 25 coisas sobre mim


Nos últimos dias, tenho me divertido e conhecido um pouco melhor várias pessoas bacanas que acompanho por meio de blogs e canais literários. O motivo é que muita gente está respondendo a tag aí do título, cuja autoria eu não tenho certeza. O objetivo da brincadeira é compartilhar coisas corriqueiras sobre si mesmo. Como sou “embalona”, vou responder a tag aqui também.

1. Sou extremamente perfeccionista.
Traduzindo: sou chata pra caramba. Quero tudo em seu devido lugar e feito corretamente. Sempre acho que eu poderia ter feito as coisas de outro jeito, fico procurando defeitos, imaginando outras opções. Acho que, se alguém se propõe a fazer algo, tem que dar o seu melhor. Ou então nem precisa fazer.

2. Não suporto gente atrasada. A menos que o caso seja realmente sério (tipo guerra, tsunami, invasão de zumbis ou aliens), não há motivo para alguém atrasar mais que 15 minutos. Nem ouse vir com a desculpa de trânsito (aliás, nunca use “trânsito” como desculpa para nada). Apenas saia de casa mais cedo ou não vai me encontrar no lugar marcado se estourar meu prazo de tolerância.

3. Sou viciada em doces. Se eu não ingerir açúcar depois do almoço, simplesmente não funciono. E tem que ser açúcar mesmo. Não adianta me oferecer fruta porque isso não é sobremesa decente. Uma vez, fiquei 1 ano sem comer chocolate por causa de uma promessa. Nas 2 primeiras semanas eu tremia como se tivesse Parkinson. Depois acostumei. Jamais farei isso de novo.

4. Detesto atividades físicas. Podem me chamar de preguiçosa, molenga, o que for. Simplesmente não é para mim. Sabem as tais endorfinas que são liberadas quando praticamos esportes? Lenda. Nunca senti esses efeitos. Só o que sinto é vontade de parar tudo e correr para o chuveiro. Calor, suor, dor, esforço? Não, obrigada. Me dá um chocolate que aí sim as endorfinas vêm falar comigo.

5. Sou formada em Desenho de Comunicação. Por que diabos fui fazer esse curso? Porque quando terminei o ensino fundamental, tudo o que eu sabia era que: a) Não queria passar mais 3 anos da minha vida estudando um monte de coisa sem utilidade; b) Não queria fazer “Magistério” como boa parte das minhas amigas. A solução foi esse curso técnico, que não me ajudou a descobrir o que eu queria fazer, mas me mostrou o que eu não queria. E ainda foi responsável pela melhor época da minha vida. Tenho muitas histórias desse período...

6. Fui beijada pelo Bozo.
No programa do Bozo, ele sempre escolhia fotos enviadas pela audiência e colava em um mural. Se a sua foto aparecesse lá, você ganhava um prêmio. Pois bem, a minha apareceu. Fui com minha mãe e minha tia buscar o prêmio (uma boneca horrorosa, que batizei oportunamente de “Bozolina”). Mas o prêmio não era o bastante. Eu queria conhecer o Bozo. Disseram que ele estava gravando o programa e que, se quiséssemos esperar, talvez desse para falar com ele nos intervalos. Ficamos um tempão esperando, até que ele saiu (para beber água, fazer xixi, ou sei lá o que). Fui correndo falar com ele. Ganhei um abraço e um beijo. E fui para casa orgulhosa, com a cara toda manchada de maquiagem do Bozo. Lembro que pegamos uma baita chuva, inundação e tudo. E eu lá, felicíssima, dentro do ônibus. Nem quis tomar banho nessa noite, só para ficar mais tempo com a marquinha na cara.

7. Tenho 5 gatos.
Sempre me interessei por gatos, embora minha mãe só me deixasse ter cachorros. Na primeira oportunidade que tive, peguei um gatinho que apareceu na garagem e não larguei mais. E depois peguei uma gata para fazer companhia ao primeiro. E a terceira veio da rua. E a quarta já havia sido adotada e devolvida. E a quinta, extrapolando a cota que estipulei para mim mesma, eu simplesmente não podia deixar de ajudar. E é isso. São a coisa mais fofa do mundo e alegram meus dias.

8. Tenho pavor de lagartixa.
Quando as pessoas pensam em um bicho asqueroso, geralmente pensam em barata. Eu não tenho problemas com as cascudas. Mato sem dó e sem nojo. Já com as lagartixas... fujo em disparada e só volto se puder confirmar que a infeliz está morta. Já cheguei a arrumar minhas coisas e quase ir embora de um escritório em que trabalhava porque ninguém queria ir matar uma lagartixa que estava rondando a sala.

9. Café da manhã é sagrado.
Admiro pessoas que saem de casa sem comer nada. Eu preciso do desjejum e ele tem que ter pão e café. Nada de frutas, cereais, iogurtes ou bolos. Pão com manteiga (ou queijo) e café preto é o meu café da manhã dos campeões!

10. Detesto dirigir.
Nunca fui daquelas loucas para fazer 18 anos e tirar a habilitação. Só fiz a prova com 20 anos. Não acho nada libertador ter um carro. Contas demais, responsabilidade demais, tensão demais. Fico irritada com as pessoas lerdas, com os folgados, com os indecisos... Fico tensa e chego nos lugares mais cansada do que se tivesse ido de metrô ou de ônibus. Para mim, carro só se vier com motorista.

11. Tenho quatro tatuagens.
Um dragão, um sol, um tubarão e um gato. Todas simples, só com traços pretos, estilo meio tribal. Admiro as tattoos elaboradas e coloridas que vejo por aí, mas não me sentiria bem com uma dessas no meu corpo.

12. Já quis ser estilista.
Quando eu tinha uns 12-13 anos, passava os dias desenhando modelitos. Cheguei a produzir alguns para minhas Barbies. Mas nunca fui ligada em moda, e pessoas afetadas me enojam. Ainda gosto de ver fotos de desfiles e estilos dos famosos da Caras, mas isso é tudo.

13. Quero visitar Madri e Barcelona.
Se eu pudesse escolher apenas 1 país do mundo para visitar, seria a Espanha, com certeza. Além da beleza das cidades, o jeito do povo espanhol e a língua espanhola também me atraem.

14. Um dos filmes que mais vi na vida é “Conta Comigo”.
Se eu estiver mudando de canal e esse filme estiver passando, paro para assistir. É ingênuo, é divertido, é triste, é adolescente... é um clássico da Sessão da Tarde.

15. Minha letra é horrível.
Sério. Nem eu mesma entendo o que escrevo. Os vários cadernos de caligrafia que preenchi na infância não me ajudaram em nada. Viva o computador!

16. Eu já fui queimada por água-viva.
Na verdade, caravela. Eu tinha uns 9-10 anos. Só me lembro da gelatina bacana boiando no mar e dos fiozinhos azuis que grudaram na minha pele. Ahhh sim... e de uma ardência louca no braço, nas costas e no pescoço. 

17. Usei aparelho ortodôntico durante metade da minha vida.
Por uns 15 anos, de todos os tipos: fixo, móvel, capacete, arco interno... uma maravilha. Agora só vou ao dentista para fazer limpeza e olhe lá. Tenho meus motivos, OK?

18. Minha família é pequena.
Se resume a pai, mãe, 1 irmão, 1 avó (a outra faleceu há alguns anos), nenhum avô (um eu não conheci; o outro morreu quando eu tinha uns 4-5 anos), 1 primo, 1 tio, nenhuma tia. Sempre achei o máximo meus amiguinhos que visitavam parentes nas férias e que tinham um monte de primos para brincar.

19. Compro muitos sapatos.
Mas não qualquer sapato: sapatilhas. As minhas preferidas são as de plástico, tipo Melissa e similares. Provavelmente deve ser para compensar o trauma de infância de não poder usar as sandálias da Xuxa e outras do gênero porque eu tinha uma alergia horrível ao plástico e à borracha desses calçados. Com os anos, a alergia desapareceu e, de uns 5 anos para cá, tenho comprado vários pares para recuperar o tempo perdido.

20. Gostaria de saber tocar algum instrumento.
Admiro pessoas talentosas que sabem tocar algum instrumento. Eu sou totalmente descoordenada e nunca tentei, para falar a verdade. Já quis ter uma guitarra e uma bateria, mas atualmente me contento em jogar Guitar Hero.

21. Não consigo ver filmes em 3D nem jogar videogames modernos.
Os filmes em 3D e os jogos modernos me dão tontura e enjoo. Fico desorientada e não consigo aguentar mais que meia hora.

22. Não gosto de dias ensolarados e quentes.
Sim, esses dias são lindos, mas não são para mim. Evito sair à rua nesses dias porque não enxergo nada, mesmo de óculos escuros. Além disso, o calor faz minha pressão cair e a enxaqueca atacar. Um horror. No meu mundo ideal, todos os dias seriam nublados (mas sem chuva), com temperatura variando entre 15 e 20 graus.

23. Não suporto lixa de unha.
Tenho pavor daquele barulhinho. Não consigo lixar nada, nem unha, nem parede... nada. Quando corto minhas unhas, tento deixar o mínimo possível para lixar e faço isso de um jeito bizarro, delicadamente e evitando o atrito. Nada mais assustador do que aquelas pessoas que lixam as unhas em lugares públicos, com uma ferocidade de dar inveja a carpinteiros. Já cheguei a levantar e ficar em pé em um ônibus lotado só para não ter que ficar ao lado de uma dessas pessoas sem noção.

24. Sou completamente sem estilo ou vaidade.
Tirando os sapatos que mencionei no item 19, nada mais me chama a atenção. Meu visual é sempre o mesmo: calça jeans, camiseta/camisa, sapatilha/tênis e só. Não consigo usar maquiagem. Adoraria saber usar, mas não sei e, como não quero sair na rua como se tivesse sido maquiada por uma criança de 3 anos, acabo não usando nada. Meu único companheiro é um batom de manteiga de cacau, pois meus lábios se ressecam facilmente.

25. A pré-escola foi um período traumático.
Fui para a escola porque queria aprender a ler. Imaginem minha decepção quando me dei conta de que isso jamais aconteceria no prezinho. Tudo o que a gente fazia era correr no parquinho, desenhar, brincar com massinha... E, para piorar, os coleguinhas eram bem... limitados. Eu entrei na escola sabendo números, letras e cores, enquanto meus amiguinhos mal sabiam segurar o lápis. Era uma escola simples, municipal. Não tinha nada dessas modernidades de escolinhas particulares, como inglês, judô, informática, balé. Tudo o que eu podia fazer para descarregar minha frustração era xingar os outros alunos de burros, o que gerava choradeira e problemas com as mães deles. Então, a professora sugeriu à minha mãe que seria melhor se eu ficasse em casa e entrasse na 1a série no ano seguinte. Ou seja, não aprendi a ler, fui convidada a me retirar e ainda peguei piolho! Foram 6 meses bem difíceis.

E é isso. Desculpem o texto gigantesco. Deixo aqui um BÔNUS, com 5 coisas aleatórias sobre mim que respondi no ano passado em uma brincadeira do pessoal do ConversaCult.

Beijo e até+!


11 comentários:

Ler por Leh disse...

Vish!
Temos muitas coisas em comum!
Algumas coisas eu mudei simplesmente como perfeccionismo, o atraso das pessoas eu resolvi começando a atrasar também (junte-se a eles).
Eu não tenho pavor de lagartixa (taruíra no meu estado), eu tenho é pavor de tudo! Qual bichinho asqueroso me causa arrepios. =D
Não vivo sem café da manhã e odeio dirigir também.
Conta comigo e De volta para o futuro, básico!
Entre outras coisas...
Mas graças a Deus nunca fui beijado pelo Bozo kkkkkkkkk

Viva às nossas manias! \o/
Abração

Melissa Padilha disse...

Oi Michelle !
Temos duas em comum pelo menos, café da manhã é sagrado mesmo e nada de fruta essas coisas ... café da manhã é pão e café, no máximo um leite com chocolate .. o resto é pra outra refeição.
Também gostaria muito muito tocar algum instrumento, a minha adolescência foi passada com uma vontade enorme de aprender a tocar bateria mas, até nada, e olha que já passei da adolescência faz tempo.
Também sou perfeccionista a ponto de me torturar mentalmente que tudo que eu faço está uma grade bosta (com o perdão da palavra!)
Sou super básica também quase não uso maquiagem e quando fico perto de certas garotas, percebo que sou praticamente um mulher de outro planeta ...
Também não consigo usar esses videogames muito modernos em 1 pessoa me dá dor de cabeça e tontura sou do tempo do Super Nintendo e Donkey Kong era o máximo, ou mesmo do River Raid do Atari, adorava!
Temos muita coisas semelhantes na verdade!
Adorei essa tag, tô até com vontade de responder :)
bjos
Melissa

Tati disse...

Muito legal essa tag né? Amei suas respostas, a gente sempre acaba se identificando em uma coisa ou outra :)
Também odeio atividade física e as tais endorfinas também não acontecem pra mim rsrs Minhas endorfinas são produzidas com café, chocolate e um bom livro :P
Morri de rir com você apaixonadinha pelo Bozo kkkkkkkkkk Sempre tive medo de palhaços, o único que eu gostei foi já na idade adulta, o personagem do Selton no filme! Também só!
Também detesto dirigir, sério, não sei como alguém pode gostar de fazer isso. Prefiro ficar admirando a paisagem enquanto alguém dirige ou então ir de busão mesmo :)
Eu já fui muito viciada em sapatilhas, mas dei uma parada porque tenho muitas! E sempre fica aquela coisa quando vou comprar um sapato: poxa, podia estar comprando 5 livros agora kkkkkkkkkk
Acontece a mesma coisa comigo em dias quentes. Com o adendo que no Nordeste é muito abafado, passo logo mal. Minha sorte é que trabalho no arcondicionado.
Eu entrei na escola direto na primeira série, então não tive esse trauma. Acho que também odiaria :(

Beijo enorme e não pede desculpas pelo texto, a gente nem sente enquanto está lendo!

Tatiane Ribas disse...

Caramba, foi beijada pelo Bozo, yuhul, demais! kkkk! o/

lualimaverde disse...

Michelle, eu também tenho pavor de lagartixas, mesmo assim morro de pena de matar as coitadas, rs. Também não gosto de quem se atrasa, já aprendi a perdoar em alguns casos, mas a pessoa perde pontos comigo.
Fiquei imaginando você na pré-escola xingando os coleguinhas, hahahaha! E o beijo do Bozo? Esse eu não queria! =D
Beijinhos, querida!

Michelle disse...

Leh,
Com amigos que sempre se atrasam, eu já marco com eles um horário antes do que realmente marco com o resto. Mas o tipo de atraso que mais me incomoda é o de casas de show, por exemplo. Várias vezes já atrasaram o início de uma peça ou show com a desculpa de "tem muita gente lá fora, o pessoal não está conseguindo estacionar... e blablabla". Acho isso falta de respeito. E as pessoas que chegaram ali na hora? Essas podem esperar? Por isso gosto do Centro Cultural SP e Sesc. Sempre começa na hora. Eles fecham as portas e pronto. Chegou atrasado, não entra.

Melissa,
Juro que queria ser menos chata com relação ao perfeccionismo, mas é mais forte que eu. Super Nintendo é moderno demais. Eu só jogava Atari e Mega Drive.

Tati,
As endorfinas de exercícios físicos são uma das maiores mentiras modernas, né? O pior é que não gosto de palhaços. Só o Bozo mesmo. Amor forever! E cada vez que alguém me mostra fotos de algum lugar do nordeste me dá uma vontade de conhecer... mas fico com medo de ir e ter que ficar trancada no hotel para não passar mal, sabe?

Tati Ribas,
O Bozo mora no meu coração...hehe

Lua,
Meu pavor é tanto que quero ter certeza que ela não vai voltar. Só comprovando que está morta mesmo. Uma coisa horrível de se dizer, eu sei. Mas a racionalidade não tem vez nesses casos. O pior desse lance da pré-escola foi que a frustração continuou no 1o ano, com repetições infinitas da mesma lição porque alguns coleguinhas simplesmente não aprendiam. Em vez de a professora passar para a próxima e dar reforço só para quem tinha dificuldade, obrigava a classe inteira a fazer a mesma lição incontáveis vezes. Chegou uma hora que eu disse para minha mãe que ia tirar xerox e entregar para professora, pois já sabia tudo de cor. O início da minha vida escolar foi bem broxante...

Jacqueline Braga disse...

Oie Michelle
adorei a tag, já tinha lido no blog da Melissa, e é muito bom ver como temos coisas em comum com certas blogueiras. E caramba, temos muito em comum hahhaah
sou perfeccionista com muitas coisas, embora seja muito bagunceira e desorganizada com outras rs
Odeio gente atrasada, inclusive eu ficava fula da vida quando meu marido (namorado na época) comprava ingresso do cinema em cima da hora, e a gente chegava já passando os trailler, nós brigávamos só por causa disso, rs e teve uma vez que eu fiquei com tanta raiva, que me recusei a assistir o filme rs
Adoro doces, sou uma formiga. Mas não posso abusar pois minha mãe é diabética e falta pouco para eu ser considerada diabética tmb, já que minha glicose é sempre no limite.Odeio atividade física.
Acho minha letra muito feinha. Ah, falei demais, vou precisar fazer essa tag tmb rs
bjos

lulunettes disse...

Show a imagem ilustrando o post!

Também detesto atraso. Realmente, você é literalmente viciada em doces. Ainda bem que a “droga” é liberada, rs. Duas, eu também não curto atividade física, mas eu gosto de pilates (só não faço lol). Credo, o Bozo é aterrorizante *odeio palhaço*. 5 gatos *_* Também não saio sem café da manhã. Deve doer demais queimadura de água-viva. Sou igual a você no caso da lagartixa, mas mude o sujeito para baratas *eca*. Michelle, você saiu traumatizada da pré-escola, mas traumatizou seus coleguinhas hauhauhauhau.

Abraços!

Michelle disse...

Jacque,
É muito legal perceber o que temos em comuns com os amigos blogueiros e ainda descobrir coisas inusitadas. Faça a tag sim. Quero saber mais sobre você ;)

Lulu,
É uma foto de 3 quadros que tenho no corredor (não exatamente quadro, só o contorno nos bonequinhos cortados na madeira... não sei o nome disso...hahaha). Ainda bem mesmo que essa droga é liberada, viu? Todo mundo fala bem de Pilates mas eu nunca me arrisquei. É verdade, devo ter causado um estrago na auto-estima dos amiguinhos, coitados.

Taciele Morais disse...

Michelle, temos muito em comum! Já perdi as contas de quanto tempo passei fazendo a mesma coisa porque nunca estava bom o suficiente; sempre tinha alguma coisa errada. Até que comecei a chutar o balde e venho tentando deixar de ser tão perfeccionista.
Antes de sair já aviso logo: ou chega na hora, ou nem precisa ir. Se atrasou 10 minutos e não tem um BOM motivo pra isso, deixo de mão e vou embora mesmo.
Não digo que detesto atividades físicas, mas a preguiça me impede de gostar. "Calor, suor (...)" Calor é sem dúvida a pior sensação do mundo! Faço coro à Tati: aqui no Nordeste, então!...
Gato é amor, né? Só não saio catando todos pra criar aqui em casa porque minha mãe (dona do bom senso desta casa) não permite.
Só não digo que sou completamente sem vaidade porque tenho agonia com meu cabelo, fora isso saio de casa até de pijama.

Adorei a tag e adorei suas respostas!
Beijos!!

livroseoutrasfelicidades disse...

Mi, gostei de saber mais sobre você. A gente compartilha gostos por livros, filmes, seriados e este post foi uma chance de conhecer melhor a "amiga virtual".
Acho que vou copiar a tag, é divertida!