segunda-feira, 21 de julho de 2014

Resenha: Claros Sinais de Loucura


Sarah Nelson é uma garota peculiar. Ela mantém dois diários, coleciona palavras-problema, conversa com o irmãozinho morto, tem Planta como sua melhor amiga e escreve constantemente para Atticus Finch, o advogado de “O Sol é Para Todos”. Além disso, está sempre procurando em si mesma sinais de loucura. Bom, quem não ficaria perturbado ao saber que sua própria mãe tentou afogá-lo na pia da cozinha aos 2 anos de idade? Pois é. Desde então, a mãe foi hospitalizada, o pai começou a beber e Sarah já teve que se mudar quatro vezes, sempre fugindo dos curiosos. Mas seu 12º aniversário está chegando e, com ele, uma nova fase de sua vida.

Eu não tinha dado atenção ao lançamento desse livro. Até saber que a protagonista escrevia cartas para um personagem de "O Sol é Para Todos". Para uma apaixonada pela história de Harper Lee como eu, esse detalhe fez toda a diferença e, imediatamente, decidi que precisava ler esse título. O resultado? Fiquei encantada com a narrativa simples e triste, porém delicada e cheia de toques de humor da Karen Harrington.

Sarah é uma garota inteligente e tímida que passou por uma tragédia familiar quando ainda era um bebê e que foi obrigada a amadurecer mais cedo. Sem querer, acabou assumindo tarefas de adulto, desenvolveu um grande senso de responsabilidade e ganhou preocupações que não deveriam pesar sobre uma pessoa tão jovem. No entanto, por baixo de sua precoce maturidade pulsam dúvidas e anseios adolescentes, como o receio do próximo ano escolar, a vontade de ser popular e o sonho com o primeiro beijo perfeito.

Às vésperas do seu aniversário de 12 anos e do início das férias escolares, ela faz planos para a comemoração e pensa em como sobreviver a um período de recesso que tem tudo para ser entediante como todos os outros. Uma tarefa extracurricular passada pelo professor de Literatura muda tudo: escrever uma carta para alguém, real ou fictício. O que era visto pela classe como um martírio, para Sarah era apenas uma forma de registrar no papel seus pensamentos e, ao dar início a uma troca de correspondência com um ser imaginário, ela acaba externando suas aflições mais profundas e termina por conhecer melhor a si mesma.

Como podemos constatar, as temidas férias de Sarah nem de longe foram o show de horror que ela havia imaginado. O que começou como um desastre sem precedentes acabou sendo um período de transformações, amizades, romance, reflexões sobre a vida e a morte e um grande passo no processo de fazer as pazes com o passado.

“Claros Sinais de Loucura” é uma história sem grandes reviravoltas ou mistérios. Sua força reside justamente na simplicidade e na identificação que temos com a protagonista. Conhecer a história de Sarah é relembrar os dias de adolescência em um misto de nostalgia e alívio, e a vontade que surge é de sentar com ela e dizer “Vai passar”. Outros detalhes que tornaram a história especial para mim foram os livros que a garota lia e a forma como ela via o mundo e o representava em cores.

“As lágrimas correm, e abraço o cartão junto ao peito. Deslizo para o chão amarelo do banheiro e deito de lado, então vejo uma presilha de cabelo minha embaixo do armário. Eu me sinto dividida ao meio. Sofro de tanta vontade de saber mais sobre minha mãe; ao mesmo tempo, queria que ela nunca tivesse me mandado cartão nenhum. Sentir duas coisas ao mesmo tempo deve ser um dos primeiros sinais de loucura.”

Uma história que diverte, emociona e encanta. Recomendado tanto para aqueles que vivem as angústias adolescentes quanto para os que já passaram dessa fase.

 Leia um trecho do livro AQUI.

4 comentários:

Jeniffer Santos disse...

Vou incluir na lista, mas creio que antes preciso ler "O sol é para todos". #vergonha rs

Beijos :)

Lígia disse...

Esse livro é um desses que eu tinha vontade de ler mesmo sem saber muito bem sobre o que era (deve ser pela conjunção de fatores capa simples e simpática + título interessante), agora fiquei mais interessada ainda. Gosto de personagens nessa faixa etária. :)

Ítalo Costa disse...

Achei interessante a história ;)

Um bom livro disse...

Nossa, adoro livros que trazem crianças 'precoces'. Como a própria Jean de O sol é para todos.
Esse (Claros sinais de Loucura) com certeza vai entrar para a minha lista!