quarta-feira, 2 de julho de 2014

TAG: Seleção Literária

Oi, gente!

A Copa do Mundo já está entrando em sua reta final, mas aqui no blog o futebol é o assunto da semana. Não sou das torcedoras mais fanáticas, mas não dá para negar que é muito gostoso assistir à competição com uma galera. E, se não sou das mais entendidas do esporte, pelo menos na literatura eu tenho um desempenho melhor. Pensando nisso, e inspirada pelas seleções de autores de cada país montadas pelo pessoal da Penguin (veja o site aqui), decidi montar minha própria equipe, com autores que batem um bolão aqui em casa.


1. Goleiro
Um autor que é seu porto-seguro, para onde você sabe que pode correr quando nada mais te anima a ler. Aquele que sempre te defende das leituras ruins.
Taí uma escolha difícil. Eu sou uma pessoa literariamente promíscua e não sou fiel a nenhum autor. Sou mais do tipo que confia no estilo. Quando estou naquelas fases de não gostar de nada, apelo para uma história de suspense/policial. Nos últimos anos, me rendi aos escandinavos, então vou botar o Stieg Larsson como representante supremo do gênero.


2. Zagueiro
Um autor forte, intenso, que mexeu muito com você.
Natsuo Kirino. A autora conseguiu me ganhar com seu suspense que vai além da investigação policial e que foca nas personagens e em seus dramas. Uma mulher que sabe o que as outras enfrentam. Virei fã.


3. Lateral direito
Um autor a quem você resistiu e de quem duvidou que fosse gostar, mas aprovou no final.
Fitzgerald. Li dois livros (O Grande Gatsby e Este Lado do Paraíso) e xinguei mentalmente o autor durante as duas leituras. Só que adorei as histórias, embora ache a escrita um porre. E ainda quero ler mais coisas do Fifi. Vai entender...


4. Lateral esquerdo
Um autor que você nunca leu e que tem fama de ser ‘osso duro de roer’.
Paulo Coelho. Provavelmente um dos autores nacionais com pior reputação, embora eu saiba que muita gente que critica nunca leu nenhum livro dele. Estou disposta a encarar ainda este ano.


5. Volante
Um autor com excelente qualidade técnica, que coloca cada palavra milimetricamente no lugar.
Saramago. A escrita não é fácil, a narrativa é cheia de digressões, a formatação é cansativa, mas a cada livro dele que leio fico mais encantada. Mesmo aquelas histórias que não considero excelentes têm qualidade técnica inegável.


6. Ala direito
Um autor que arranca com tudo e tem um ritmo insano de narrativa.
Mutarelli. Só li um livro do autor até agora, mas, pelo que conheço das outras histórias, sei que devem seguir pelo mesmo caminho. Foi uma leitura que me deixou fisicamente cansada e com dor de cabeça, mas valeu a pena. Ainda pretendo sofrer muito com outras escritas dele.


7. Ala esquerdo
Um autor cheio de drible, que te enganou direitinho com as reviravoltas da história.
Vou colocar mais um de quem só li um livro, mas que demonstrou um enorme potencial: Herman Koch. “O Jantar” foi uma leitura surpreendente e me fez querer conhecer melhor o trabalho do holandês.


8. Meia-armador
Um autor que é o craque do time, o camisa 10, que se destaca pela criatividade e pela habilidade.
Gabo. Li o começo de Cem Anos de Solidão umas três vezes antes de conseguir engatar a leitura. Não entendia nada, aquele monte de personagem com o mesmo nome. Decidi encarar e continuar assim mesmo e... ei, não é que estou entendendo? Não só terminei o livro como virei fã. Já li outros 2 e quero mais.


9. Ponta direita
Um autor ousado, que te surpreendeu positivamente.
Aldous Huxley. Fiquei com o “Admirável Mundo Novo” parado na estante durante anos antes de tomar coragem e ler. Sei lá, achei que era mais um daqueles clássicos superestimados, sabe? E não me dou bem com ficção científica, então já viu a implicância... Depois que li, fique inconformada por ter demorado tanto.


10. Ponta esquerda
Um autor confiável, que está sempre na sua lista de leituras favoritas.
Shakespeare. Embora eu não consiga ler vários livros dele na sequência, tenho boas experiências toda vez que embarco em uma nova leitura.


11. Atacante
Seu autor queridinho, o artilheiro da sua estante, aquele que você mais leu na vida.
Stephen King. Sete livros lidos e muitos outros a serem devorados. O autor podia só escrever mais devagar ou maneirar no número de páginas. Não acompanho o ritmo de produção do tio King. Sou lerda, gente!


Outras seleções aqui:
- Seleções da Paula (sim, ela montou duas!) (Pipa Não Sabe Voar)
- Seleção do Kalebe (O Espanador)
- Seleção da Lígia (Randomicidades Aleatórias)

E vocês, quem escalariam?

8 comentários:

biblioconto disse...

Oi, Michelle! ADOREI essa tag! Suas escolhas também foram super legais, adorei ler e saber das sua escalação. O Gabo também seria meu camisa 10, ô homem!
Beijos!

Melissa Padilha disse...

Adorei essa tag!!Vou responder lá no blog :)
bjo

Pipa disse...

Adorei! E acabei de responder :) Fiz duas escalações, um time de autores e um de autoras :)

beijo!

Pipa

Sarah disse...

Adorei Mi! Tanto a tag quanto sua escalação. Saramago está perfeito como volante, é bem isso mesmo!
Sobre Gabo tive exatamente a mesma sensação ao ler Cem Anos de Solidão, tanto que não consegui terminar até hoje - vergonha!
E King... também concordo. A escrita é excelente, só senti que o ritmo é um pouco pesado. Ele escreve frases longas, com ações e pensamentos misturados rs... E o número de páginas, jesus! Mas, ao menos no que estou lendo, vale a pena :)

Flávia disse...

Adorei a sua tag, ainda mais porque acabei conhecendo mais dois escritores que nunca tinha ouvido falar, Herman Koch e Natsuo Kirino. Menina,acho o Fifi um porre, mas acho que vou tentar ler mesmo assim e descobrir o borogodó que ele tem.

Tati disse...

Adorei MiG :D
Muito criativa sua ideia, vou tentar responder também!!!
Tô tão curiosa pra ler o Mutarelli por sua causa e da Marcia Cogitare! Sempre que estou "folheando" o kindle passo pelos livros dele que tenho e lembro de vocês!
Beijos!!

Maria Ferreira disse...

Que mulher mais criativa!
Se eu não fosse tão indecisa, faria a tag no eu blog também.
Gosto do Saramago, com ele minha paixão começou com "Ensaio sobre a cegueira".
Eu realmente não sei o que pensar de Paulo Coelho, nunca o li, mas tenho receio justamente pelo o que o pessoal fala dele.
E king... bem, morro de medo!

Michelle disse...

Olivia,
O Gabo faz parte do time de muita gente, né? Quase uma unanimidade.

Mel,
Eba! Quero ver!

Pipa,
Adorei as escalações!

Sarah,
Cem Anos é bem estranho no começo, mas vale a pena insistir. A escrita do King é essa mistureba. Acho que o pior de tudo é essa fonte minúscula da edição de colecionador. Cansa muito!

Flávia,
Fifi e eu temos um caso estranho...hahaha

Tati,
Se prepara que a escrita dele te joga no olho do furacão. Você sai tonta, mas feliz.

Maria Ferreira,
Ensaio Sobre a Cegueira também foi meu primeiro livro do Saramago e foi amor à primeira vista. Do King, tem que gostar do estilo, não tem jeito. O PC vou encarar e ver qual é a dele. Tks pela visita!