terça-feira, 23 de agosto de 2016

Leia o Livro, Veja o Filme: Alien


Em sua viagem de volta à Terra depois de anos vagando pelo espaço, a nave-refinaria Nostromo capta um sinal oriundo de um planeta desconhecido. Então, retira seus tripulantes do sono criogênico e faz um desvio da rota para que o time possa averiguar a mensagem cifrada que supostamente é um pedido de socorro. O que eles encontram e levam para a nave é o terror na forma de predador alienígena.

“Alien” é um dos meus filmes favoritos da vida, pois conseguiu inovar ao criar um monstro assustador, inteligente e letal, deixando de lado o batido visual de alienígenas humanoides e apresentando uma criatura enorme, negra, com várias mandíbulas que se projetam para fora, saindo uma de dentro da outra, e derramam baba ácida. Além disso, a história também merece destaque por colocar uma mulher como protagonista de uma ficção científica, no ambiente predominantemente masculino de filmes de ação. Se o Alien é uma criação magnífica, a Subtenente Ripley é seu contraponto mais que perfeito. E a relação de curiosidade e fascínio entre eles vai crescendo ao longo da série.

Eu geralmente falo separadamente de livro e filme na coluna “Leia o Livro, Veja o Filme”, mas este post será diferente. Primeiro porque, ao contrário do que acontece na maioria das vezes, o filme foi realizado antes e o roteiro foi adaptado depois para o formato de livro, processo conhecido como novelização. Segundo que, apesar do livro ter conseguido prender minha atenção até o fim, mesmo tendo seu final conhecido, a força imagética do filme é insuperável. Eu jamais conseguiria imaginar uma criatura tão horrenda e cenários tão incríveis, se dependesse apenas da descrição contida no livro.

No geral, livro e filme diferem em pequenos detalhes apenas. Algumas coisas que são mais bem explicadas no livro já existiam no roteiro, o que descobri ao rever o filme e ficar fuçando nas cenas deletadas. Faz sentido, já que manter o espectador interessado é muito mais difícil do que envolver um leitor na trama – é preciso ser mais dinâmico e mais intenso. A única cena descrita no livro e excluída do filme de que realmente senti falta revela uma fase importante do ciclo de vida do Alien (inclusive, a cena aparece como referência na série “Stranger Things”). As etapas de desenvolvimento e reprodução do alienígena, aliás, foram inspiradas em uma espécie de aranha – o que é bem curioso e assustador ao mesmo tempo.

Um dos pontos positivos do livro é que temos acesso aos pensamentos dos personagens, inclusive os do gato Jones. Dá para ter uma ideia melhor dos conflitos internos de cada um e dos desafetos em relação aos demais companheiros, o que no filme nem sempre fica claro ou então demoramos mais para perceber.

Destaco ainda o lindo trabalho gráfico dessa edição da Aleph, que começa com a capa metalizada, passa por uma ilustração pixelada do alien e segue o padrão de código que aos poucos forma as letras do título, como no filme. Nas páginas finais, o livro ainda traz uma entrevista de 1984 com Sigourney Weaver, na qual ela fala um pouco de como foi assumir um papel de protagonista logo em seu primeiro trabalho no cinema, e uma com Ridley Scott, do mesmo ano, na qual ele comenta sobre sua visão pós-apocalíptica do futuro e cita referências como Blade Runner, Star Wars e 1984. E ainda tem uma nota exclusiva do autor, de 2015, para a edição brasileira. Um luxo só!

Por ser inovador, claustrofóbico, aterrorizante e por ter nos presenteado com uma das criaturas mais sensacionais da ficção e com uma das protagonistas mais duronas de todos os tempos, recomendo fortemente o livro e o filme.


Nota:
Livro: 4
Filme: 5

“A superfície opaca do ovoide tornara-se translúcida. Com o olhar arregalado, ele continuou a observar, enquanto a superfície continuava a clarear, tornando-se transparente como vidro. Aproximando-se, trouxe a luz mais para a base do objeto; com o olhar fixo, mal conseguia respirar quando uma forma dentro do recipiente oval tornou-se visível”. 

3 comentários:

lulunettes disse...

Adoro Alien! <3 É um dos meus filmes de FC preferidos. Estou com o livro faz tempo e não li por receio de ser uma bosta, hahahaha. Vou me programar para ler em 2017 e tirar essa dúvida (>_<). Bjs, Mi!

Jeniffer Geraldine disse...

Estou com esse livro pra ler aqui mas estou sem coragem hahaha
Nunca vi o filme.
Quero tentar ler e depois ver.
Até outubro, resolvo isso :)
bj

Michelle disse...

Lulu,
Alien é amor <3 Vai na fé e depois conta o que achou. Aliás, você viu que estão lançando uma série de livros do Alien? Quero muito!

Jeniffer,
Toma coragem que tem tudo para ser uma boa experiência. Boa sorte!