quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Tag dos 50%


Vi em vários blogs e canais o pessoal respondendo tag sobre as leituras do primeiro semestre de 2016. Fui olhar no Skoob e constatei que, até agora, li 40 livros. Nada mal. Não sei se existem várias versões da tag ou se é sempre a mesma, mas retirei as perguntas do blog Ouse Viver. Então, mãos à obra!
01) O melhor livro que li até agora.
Difícil escolher um só. Já vou começar roubando e respondendo dois: “Contos", da Katherine Mansfield, e “O Assassino Cego”, da Margaret Atwood.
02) A melhor continuação que li até agora.
História do Novo Sobrenome, segundo livro da série napolitana escrita por Elena Ferrante.
03) Algum lançamento do 1° semestre que vc não leu, mas quer muito.
A Guerra do Velho, de John Scalzi (Editora Aleph).
04) Livro mais aguardado do segundo semestre.
Não sou muito de prestar atenção nas datas de lançamento, mas sei que uma nova série de Alien (Alien #1 – Surgido das Sombras) está chegando nas lojas e, obviamente, quero ler. Estou louca para comprar a HQ de Clube da Luta também.
05) O livro que mais te decepcionou em 2016.
Dançarinas, da Margaret Atwood. Não que o livro seja ruim, mas é que, perto dos romances maravilhosos que já li dela, esse livro de contos deixou a desejar.
06) O livro que mais te surpreendeu este ano.
Rostos na Multidão, da Valeria Luiselli. Eu não fazia ideia do que era a história, não conhecia a autora, não tinha expectativa nenhuma. Acabei me deparando com uma história incrível e com uma escrita envolvente e quero ler outros livros da escritora.
07) Novo autor favorito.
Não sei. As autoras que mais tenho gostado de ler ultimamente são Elena Ferrante, Margaret Atwood e Katherine Mansfield. As duas primeiras li pela primeira vez no ano passado; a última finalmente conheci este ano e, em todos os casos, foi amor à primeira vista. E à segunda, à terceira...
08) Sua quedinha por personagem fictício recente.
Não entendo essas coisas de quedinha. Mas li "O Corcunda de Notre Dame" este ano e gostei muito do Quasímodo.
09) Seu personagem favorito recente.
Penélope, de A Odisseia de Penélope. Ela é inteligente, irônica, engraçada, ousada... uma grande protagonista.
10) Um livro que te deixou feliz.
Feliz, nenhum. Só tenho lido coisa pesada. Mas me diverti lendo Alien.
11) Livro que fez você chorar.
Nenhum. Sou uma pessoa sem coração... hahaha. 
12) Melhor adaptação cinematográfica até agora.
O Quarto de Jack. A Pedra de Paciência também é incrível.
13) Sua resenha favorita do primeiro semestre.
Não sei. O primeiro semestre foi meio confuso e mal tive tempo de ler e escrever resenhas.
14) Livro mais bonito que você comprou/ganhou esse ano.
Zé do Caixão – Maldito (André Barcinski) [Edição da DarkSide].
15) Quais livros preciso ler até o final do ano.
Estou lendo (e amando) "E o vento levou", que tem tudo para entrar nas melhores leituras do ano. Pretendo ler "Sob a redoma", do King, também. E preciso urgentemente terminar de ler "Dance of Days", sobre o hardcore nos Estados Unidos, que comecei toda empolgada, mas acabei deixando de lado, coitado!

3 comentários:

Ana Leonilia disse...

Quantos livros no primeiro semestre!
Até agora li 16.

"E o Vento Levou" foi o melhor livro que li no ano passado. Sabia que você ia gostar. Mal posso esperar para ler sua resenha.

Esse ano, o melhor livro que li foi "Senhora", do José de Alencar.
Tomara que eu continue lendo títulos bons!! :D

Bjs ;)

Lígia Barros disse...

A Katherine Mansfield é maravilhosa. O pior é que tô com um livro dela na estante faz tempo e ainda não li. :P
Tenho certo preconceito com "E o vento levou", tanto que ele foi escolhido no meu clube do livro e nem cogitei ler, mas agora fiquei curiosa para saber sua opinião a respeito dele.

Michelle disse...

Ana,
"E o vento levou" foi completamente diferente do que eu havia imaginado. Estou louca para ver o filme e fazer uma resenha comparando com o livro. Acho que sai ainda este ano (espero!)

Lígia,
Eu também tinha muito preconceito, tanto que até hoje nunca nem quis ver o filme. Achei que fosse um romance meloso, mas não é nada disso. Vale a pena dar uma chance, viu?