quarta-feira, 18 de julho de 2012

Série: Girls (Temporada 1)


Girls é uma “dramédia” americana que gira em torno do dia a dia de 4 amigas que estão na casa dos vinte e poucos anos e enfrentam as dificuldades do início da vida adulta. O quarteto é formado por: Hannah (Lena Dunham), aspirante a escritora em constante guerra com a balança e que vive uma relação tumultuada com Adam (Adam Driver), ator e carpinteiro meio esquisitão e cheio de fetiches sexuais; Marnie (Allison Williams) melhor amiga de Hannah desde os tempos escolares, divide um apartamento com ela, trabalha como assistente em uma galeria de arte e vive um relacionamento morno com Charlie (Christopher Abbott), músico e namorado dedicado, que também estudou com as duas garotas; Shoshanna (Zosia Mamet), tímida estudante da New York University cujo principal drama é ter mais de 20 anos e ainda ser virgem, divide um apartamento com sua prima Jessa (Jemima Kirke), a descolada e moderna do grupo, aquela que já viajou pelo mundo todo e possui experiência, mas que no momento trabalha como babá. 

A trama aborda esse período tão confuso e delicado em que já não somos mais adolescentes, mas ainda temos muitas dúvidas sobre o que fazer da vida. O tão sonhado diploma foi obtido, mas e daí? Como a protagonista Hannah logo descobre, a formatura não quer dizer nada. Apenas dá início a uma fase em que as pessoas costumam estagiar ou trabalhar em subempregos e recebem salários que mal cobrem os gastos básicos. Além de ter que lidar com esses problemas profissionais, os personagens ainda estão tentando se encontrar, descobrir do que realmente gostam, equilibrar a vontade de se lançar no mundo e viver intensamente com o medo de perder a estabilidade e o pouco que conseguiram com tanto esforço.

Decidi assistir à série depois de ler vários comentários elogiosos, mas, infelizmente, não achei tão maravilhosa assim. Como eu disse, abordar essa fase de transição é bacana, já que na maioria das vezes temos histórias de adolescentes ou adultos com um futuro consolidado. Mas algumas coisas na série me incomodaram muito. A principal é ter Hannah como centro da história. Lógico que tem a ver com o fato da série ser inspirada nas experiências reais de Lena Dunham, que é não só a atriz que interpreta Hannah como também a roteirista, diretora e produtora executiva da série.

A verdade é que achei Hannah extremamente chata. Sabe aquele tipo de pessoa que se acha a criatura mais infeliz da face da Terra, reclama adoidado, mas não faz nada para mudar a situação? Pior, pois não sabe ouvir os problemas alheios e sempre muda o foco da conversa para os próprios dramas e acusa os outros de serem insensíveis. Além de fazer isso o tempo todo com as amigas, ela também trata Adam dessa forma. No começo, sentia pena da Hannah e queria bater na cara dela por deixar o Adam tratá-la feito lixo, mas lá para a metade da série eu percebi que estava julgando o garoto pela perspectiva da Hannah e que, na verdade, ele não era o ogro que ela pintava. Quando compreendi o quanto Hannah se faz de coitada e como ela é manipuladora, minha visão do Adam mudou completamente.

Essa centralização da trama na Hannah deixou as outras personagens subutilizadas, principalmente Marnie e Jessa. Como a segunda temporada está garantida e tem estreia mundial prevista para 2013, talvez isso tenha sido intencional e a história das garotas seja mais bem trabalhada na temporada seguinte.

Vale destacar os pontos positivos da série: contexto bem atual, referências bacanas, proximidade com a realidade e trilha sonora de primeira.

É esperar para ver.

8 comentários:

lualimaverde disse...

Concordo contigo, Michelle, a Hannah geralmente é bem chata e a série tem altos e baixos. Gosto muito da direção e alguns dos episódios têm roteiros legais, mas há momentos muito forçados. E o que foi aquele final totalmente sem sentido? Parecia que eu tava vendo outra série! :-) Beijo!

Michelle disse...

Hahaha... Acho que chegaram no set e falaram "gente, vai ter segunda temporada; inventem algo que prenda a atenção do público". Daí fizeram aquele final totalmente viagem.
bjo!

Raíssa disse...

Olha, me identifiquei com a causa dessa história! XD Já tinha visto algo sobre essa série na HBO mesmo, mas o que me incomodou foi isso tbm, a menina que escreve é tbm a atriz principal, diretora, produtora, blá, blá, blá... Acho que além de ser uma personagem reclamona, ela deve ser reclamona na vida real, pq falou que "tem muito trabalho pra fazer a série, mas é bom e tereréu..." TBM, né? A pessoa quer ser dessas que canta/dança/chupa e representa... ENFIM!

Tomara que a série melhore na segunda temporada, e conte mais a história das outras personagens, né?

Vou ver se assisto essa série. :)

bjs!

Gabriela Orlandin disse...

Bom, se eu tinha alguma vontade de ler (ia comentar que achei os perfis das personagens bem legais e diversificados), essa vontade morreu quando você disse sobre esse defeito da Hannah de reclamar da vida e não fazer nada para mudar. Tenho horror a pessoas assim, e tenho uma pessoa muito próxima a mim que é desse jeito. Dá muita raiva porque, além de ser só a pessoa que pode se ajudar, ela não faz isso e ainda culpa os outros por ela estar nessa situação. Pior: quando surge outra oportunidade, ela nega, não quer. Então, me desmotivou total a ver a série, haha!
Beijos.

livroseoutrasfelicidades disse...

Não conhecia esta série... e agora fiquei em dúvida se quero conhecer! Se bem que eu gosto de ums séries bobinhas... rs
bj

Michelle disse...

Gabi,
A série tinha tudo para ser ótima. Essa diferença de personalidades dava para render um bocado, mas daí focaram só em um personagem e no seu blablabla e ficou cansativo. Estou torcendo para melhorar na segunda temporada.

Julia,
Eu assisti por curiosidade e também porque são só 10 episódios com meia hora de duração, então dá para assistir à noite, enquanto come alguma coisa, sem forçar muito o cérebro.

bjo procês!

Cah disse...

Oi Michelle!
Eu tb comecei a assistir por causa do monte de gente comentando que a série é genial e fiquei feliz com seu post! Eu odeio a Hanna, ela é chata demais! Minha nossa, os draminhas que ela faz, a relação dela com o Adam, tudo nela me irrita. Mas acabei continuando a assitir, gostei das outras personagens e como vc disse, tem seus pontos positivos, mas acho que essa tentativa de se contrapor o tempo todo ao Sex and the city faz eles perderem um pouco o rumo das coisas.
Vc e a Lua tem razão: o que foi aquele final?!!? ahauhhuaa

Bjaummm

Erika Escobedo González disse...

Há muitos elementos a favor e contra a ser definido, tudo o que posso dizer sobre este programa é que ele é extremamente divertido o enredo é simples e não há grande problema em compreendê-lo. Por outro lado, atualmente meninas III é transmitida eo truth'm ansioso para vê-lo. Eles recomendam muito, especialmente para as meninas pensam que eu me sinto muito identificado com alguns eventos que ocorrem durante 3 temporadas.