segunda-feira, 28 de outubro de 2013

37a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo - Semana 1

Oi, gente!

Como eu já havia comentado semana passada, fui assistir alguns filmes da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Embora todo ano eu prometa a mim mesma que vou tirar uma semana de folga só para ficar o dia inteiro no cinema, nunca faço isso. Tirar uns dias livres é a parte mais fácil; o difícil é conseguir vencer a preguiça e ter disposição para enfrentar uma maratona não só nas salas de exibição, mas também para encarar o trânsito caótico para voltar para casa depois de um dia cansativo. Bom, mesmo sem ter me jogado completamente na loucura que é a Mostra, consegui participar alguns dias e hoje vou falar sobre os filmes que vi.



Como eu sabia que não conseguiria ver no mínimo 20 filmes, que é o menor número de ingressos do pacote da Mostra, nem me preocupei em comprar minha quota. Usei o esquema de compras antecipadas pela internet só para os dias em que teria tempo de ir. Até que funcionou bem. Para fazer minha seleção, usei os seguintes critérios: 1) Eliminei todos os filmes que vão estrear mais tarde no circuito comercial (se tenho a chance de vê-los em qualquer cinema depois, não preciso ver em primeira mão); 2) Eliminei as salas fora da região da Paulista (além dessa área ter o maior número de sala, é mais fácil de chegar e de encontrar outros filmes, caso o pretendido esteja com sessão esgotada); 3) Eliminei todos os filmes que impossibilitariam minha volta de metrô (ou seja, todas as sessões iniciadas depois das 14:30 e antes das 18:00 [porque pegar a linha vermelha na hora do rush é desumano], bem como aquelas começadas depois das 22:00). Com o que restou, comecei a avaliar as sinopses e montar minha planilha.

Segunda, 21 de outubro – Dragon Girls (Drachenmädchen, 2012, Alemanha)

O primeiro filme que escolhi para ver era de temática oriental, embora fosse uma produção alemã, dirigida por um belga. O documentário acompanha a vida de algumas garotas que fazem parte do imenso contingente de 35.000 alunos de uma escola que, além do currículo educacional padrão, também inclui kung fu, em um programa de treinamento duríssimo nos moldes Templo Shaolin. Uma rotina militar que tem início às 5 e pouco da manhã e só termina com o pôr do sol, deixando um rastro de cortes, hematomas, lágrimas disfarçadas, frustração e sonhos muito difíceis de serem realizados.

Não tenho dúvida de que rotina e disciplina sejam essenciais para o bom desenvolvimento infantil, mas o nível de exigência a que as crianças da escola de kung fu são expostas é absurdo. Alguns dizem ter decidido ir para a escola por conta própria; outros foram enviados pelos pais que não têm tempo para cuidar da prole, pois se dedicam 100% ao trabalho. De um jeito ou de outro, não há muitas opções na vida dessas crianças. Suportar a dor e os treinos exaustivos representa um bom diferencial que lhes garantirá vantagens na hora de conseguir um emprego. Mas nem todos aguentam a pressão e são hostilizados pelos colegas. E, no fim, o que mais machuca esses jovens não são as contusões resultantes dos golpes de kung fu, e sim o tratamento frio e a falta de atenção que recebem dos pais nos poucos dias que são autorizados a passar com a família em casa.
[Bélgica], [Alemanha]

Terça, 22 de outubro – Mundial, as Maiores Apostas (Mundial, Gra o Wszystko/ Mundial, The Highest Stakes, 2012, Polônia) 


Este filme eu assisti totalmente por acaso, já que o que eu havia escolhido foi trocado na última hora e eu tinha comprado ingresso antecipado. Uma ocorrência normal da Mostra. Como eu não queria ficar procurando outro filme nem me deslocando até outro local, decidi me entregar ao inesperado e ver no que ia dar. E não é que gostei?

Duas situações importantes e simultâneas ocorridas no começo dos anos 80 na Polônia são apresentadas: a prisão de membros do sindicato trabalhista Solidariedade e a Copa do Mundo da Espanha, da qual a Polônia teve um desempenho muito bom. Por meio de depoimento dos membros do sindicado, jogadores de futebol e técnico da seleção polonesa, bem como ilustrações e material de época, ficamos sabendo das dificuldades do time, das disputas com sabor especial contra outros países comunistas, de como o mundial mudou a rotina das pessoas dentro e fora das grades, da censura e do apoio que a seleção e o sindicato receberam das torcidas adversárias. Achei bem interessante.
[Polônia]

Quarta, 23 de outubro – Pelo Malo (Pelo Malo/Bad Hair, 2013, Venezuela) 


Esta é a história de Junior, um garoto que 9 anos, que tem um sonho: ter cabelo liso. Enquanto acompanhamos o dia a dia do menino e sua amiguinha brincando pelo prédio onde moram e imaginando como será a foto escolar que precisam tirar (ele quer encarnar um cantor de cabelo liso; ela quer se vestir de miss), também ficamos sabendo das dificuldades de Marta, mãe de Junior, que está desempregada e cria sozinha duas crianças.

O filme venezuelano poderia facilmente ter sido filmado no Brasil, pois, ao ver na tela o trânsito, os ônibus antigos e os conjuntos habitacionais feios, foi fácil sentir uma familiaridade com o visual da cidade (ou de parte dela, pelo menos) e com o estilo de vida de seus habitantes. Tudo ali na tela é muito próximo da nossa realidade: a pobreza, o ‘jeitinho’, os valores, os medos. Embora o filme tenha seus momentos engraçados pelas situações causadas pelos garotos e pela visão sonhadora deles, a trama é dura. Gostei muito e recomendo!
[Venezuela] [#vejamaismulheres]

Quinta, 24 de outubro – A Receita Final (Final Recipe/ Fa-i-neol Re-si-pi, 2013, Coreia do Sul/China)

Este foi o filme que eu queria ter visto na terça. Felizmente havia sessão em outro dia, então pude conferir essa história deliciosa sobre Mark, um garoto que decide participar de um reality show de culinária para ganhar dinheiro e salvar o restaurante do avô. No entanto, Hao, o avô, quer que Mark vá para a faculdade cursar engenharia, e não admite que o neto siga no ramo da gastronomia, que ele considera uma arte que se transformou em um negócio em que as pessoas só querem lucrar e inventar pratos esquizofrênicos. Ao chegar ao estúdio onde ocorreriam as gravações, uma pequena confusão permite que Mark se inscreva com o nome de um participante que não apareceu e, no decorrer do programa, muitos segredos da família de Mark são revelados.

O filme é um deslumbre visual. É tanta comida bonita e interessante que não dá para ficar sem mastigar nada durante a sessão. Ainda bem que eu tinha comprado pipoca e chocolate... rs. No início da competição, os participantes trabalham em equipe, e a de Mark é a mais díspar possível: um chef rústico com ares de galã, um cara meio nerd e esquisitão, uma garota bonita que domina as mais elaboradas técnicas francesas e, claro, o próprio Mark, cuja experiência vem da cozinha de seu avô. A história consegue equilibrar comédia, romance e drama muito bem e é fácil se apegar aos personagens. A única coisa que me desagradou um pouco foi que o filme é todo falado em inglês (aliás, o estilo é bem americano). Não que isso seja um defeito, mas quando escolho um filme asiático, gosto de ter “o pacote” todo, incluindo a sonoridade peculiar das línguas. Em todo caso, adorei e indico para quem gosta de uma trama leve, divertida e emocionante, principalmente para os fãs de “Filmes com Sabor”.
[Coreia do Sul] [#vejamaismulheres]

Veremos se consigo assistir mais alguma coisa esta semana.
Alguém aí está participando da Mostra? Tem algum filme para indicar?

Beijo!

3 comentários:

mm amarelo disse...

Amo esse tipo de maratona, muda completamente a rotina dos dias. Dos filmes que você viu, o "Pelo Malo" me chamou atenção, vou ver se consigo assistir em circuito alternativo por aqui.
beijo grande,
Maira

lulunettes disse...

Achei seus critérios sensatos e ideias para curti a mostra. Da lista, ‘Dragon Girls’ e ‘Pelo Malo’ me chamaram atenção. Principalmente o filme venezuelano, já que acho que nunca assisti nenhuma produção do nosso vizinho. Michelle, conseguiu assistir mais algum?
Abraço!

Michelle disse...

Maira,
Eu também adoro. Gostaria de ter mais tempo ou morar mais perto dos cinemas para poder assistir a mais coisas. Se tiver a chance, veja "Pelo malo" sim ;)

Lulu,
Não consegui ver mais nada na semana seguinte :( Mas já estou caçando alguns na internet.