segunda-feira, 16 de junho de 2014

Resenha: A Página Assombrada por Fantasmas


Um rapaz aflito para entrevistar seu escritor favorito. Uma mirabolante conspiração russa. O destino de uma garota nas páginas de um livro. O poder de uma crítica literária. A nostalgia das férias. Uma turista perseguida pelo fantasma de Borges em Buenos Aires. O futuro sombrio dos clássicos. Uma moça estranhamente parecida com uma personagem. Um grupo de escritores e sua relação com os fãs. Em nove contos, Antônio Xerxenesky fala de livros e das formas de leitura.

Solicitei o livro em uma troca por acaso. Tinha crédito, gostei da capa, li alguns comentários dos leitores, pedi. Logo que chegou em casa, dei uma folheada e fiquei toda empolgada para ler. Mas, como acontece em 90% dos casos, o livro acabou na imensa pilha de "Vou ler" e foi parar na prateleira mais alta da estante. Até que a resenha da Paula me lembrou do livrinho esquecido e, na sequência, o vídeo da Olivia foi o empurrão que faltava para eu tomar vergonha, buscar a escada e pegar logo o livro para ler. Obrigada, meninas!

A leitura foi uma delícia. A cada conto, conheci personagens carismáticos e histórias interessantes. Embora o tema comum a todos os contos seja a literatura e a relação que temos com os livros, cada um deles tratou do assunto de forma diferente, ora despertando nostalgia da infância, ora gerando tensão com o mistério, às vezes me fazendo rir com o tom ácido das críticas a uns tipinhos bem manjados no meio literário, outras me assustando por levantar uma possibilidade não totalmente descartada de alterações dos clássicos rumo à imbecilização da humanidade.

A literatura e o livro em si são as estrelas da obra de Xerxenesky. Por meio de textos divertidos, e sem nunca soar técnico demais, o autor nos convida a pensar nosso papel de leitor, as formas como lemos, a importância das expectativas e do nosso conhecimento de mundo, o peso do nome de um autor, a força de uma crítica, a função da leitura (entreter ou fazer pensar?).

Enfim... eu poderia falar de cada história individualmente, mas acho que isso estragaria parte da experiência. Para mim, pelo menos, me jogar na leitura sabendo pouco da trama às vezes é muito recompensador. Adoro ser surpreendida por um tema que eu não havia cogitado, por guinadas inesperadas, por um estilo inovador. Só o que eu posso dizer é: LEIAM!

“Naquela época (quando era mesmo, 2005?), eu não sabia que, embora no futuro fosse migrar com rapidez para o universo do livro digital, sentiria falta para sempre do cheiro único que cada livro tem. Tentaria, na década seguinte, colocar até um esguicho de perfume com cheiro de papel no leitor de e-books, apenas para me frustrar com o fato de que todos os livros, a partir de então, passariam a ter o mesmo cheiro. Que crime! Em que universo doente David Foster Wallace teria o mesmo odor que Jane Austen?”


Um livro curtinho que é muito bem-sucedido tanto no campo do entretenimento quanto no de reflexão.

Este post faz parte do Desafio Literário Skoob 2014 - Mês de Junho: Autores Brasileiros. Para ver a lista de obras selecionadas e outros posts do DLSkoob2014, clique AQUI. 

6 comentários:

Melissa Padilha disse...

Eu vi esse livro uma vez para troca, apesar de conhecer o autor, não me empolguei. Mas, como sou daquelas que vê o livro e deixa para depois ler a sinopse, acabei perdendo a oportunidade me esquecendo dele, mas agora lendo parece ser um livro muito gostoso de ler.
Eu adoro a capa desse livro, acho linda demais.
bjos

Lígia disse...

Já ouvi falar bastante desse autor, mas nunca dei muita atenção. Adoro livros sobre livros e gostei muito da sua resenha. Vai para a listinha de leituras. ;)

Luara Cardoso disse...

Oi Michelle, tudo bem?
Você acredita que eu nunca tinha ouvido falar desse livro? Nem a capa me é familiar.
Eu gosto de livros de contos, apesar de não ler um há MUITO tempo. Por esse ter uma ambientação na literatura, parece que vai me ganhar ainda mais. <3
Gostei bastante da sua resenha e coloquei o livro entre os desejados.

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Bia Machado disse...

A capa é ótima mesmo! Li esse livro acho que no ano passado. Eu gostei do ritmo dos contos, mas não me empolguei com todos, talvez no momento em que li não tenha me apegado a todas as histórias. No geral gostei, e quero ler mais coisas do autor! =)

Michelle disse...

Melissa,
A capa é linda mesmo. Eu não conhecia o autor, mas gostei muito da escrita dele. Quero ler outras coisas.

Lígia,
Foi uma boa surpresa. Acho que você vai gostar ;)

Luara,
Como não gostar de livros sobre livros, né?

Bia,
O único conto que não me empolgou foi aquele sobre o grupo de escritores. De resto, gostei muito.

Eve Fowl disse...

Você conseguiu despertar minha vontade em ler este livro. Gosto de livros de contos, e este parece ter uns muito bons. Confesso que fiquei muito curiosa quanto ao conto do Fantasma, deve ser delicioso de se ler.