sexta-feira, 27 de novembro de 2015

E o tema é... Cinco biografias/documentários de artistas femininas

Faz tempo que não pinta um post da coluna “E o tema é...” por aqui, né? Adoro fazer listas e seleções, mas ultimamente não estava encontrando nada que valesse a pena, ou, quando encontrava, não tinha tempo para montar o post. Enfim... hoje apresento a vocês as 5 biografias/documentários sobre artistas femininas que vi nos últimos dias. Simbora!



1. Violette (2013)
O primeiro filme que vi foi a biografia da escritora francesa Violette Leduc. Durante pouco mais duas horas, acompanhamos as dificuldades de Violette na época do pós-segunda guerra, suas frustrações românticas, seu relacionamento com Simone de Beauvoir e seu empenho para escrever e publicar seus livros. Sua vida não foi nada fácil, e a sinceridade com que expôs assuntos incômodos (como aborto e sexo) tornou o reconhecimento de sua obra algo complicado. Acho que poderia ser um pouquinho mais curto, mas as belas paisagens compensam a longa duração.

2. Cássia Eller (2014)
Essa era uma história que eu sabia como terminava, mas desconhecia seu início. Fui cheia de expectativa e me decepcionei com a edição do filme. Sei lá, simples demais, óbvia demais... Mas se a qualidade técnica deixou a desejar, a trajetória da artista me encantou, e pude relembrar porque sua versatilidade e seu talento a alçaram ao status de estrela. Marcante também por sua personalidade forte nos palcos, embora doce e tímida nos bastidores. E ainda quebrou tabus ao escancarar sua homossexualidade a ao abrir precedente jurídico após sua morte, deixando o filho sob a guarda na companheira. Emocionante.

3. Amy (2015)
Mais um documentário com final trágico que eu estava louca para ver. Felizmente, a qualidade deste é beeeeeem superior ao da Cássia, não só porque havia muitos vídeos caseiros da Amy, mas porque as cenas gravadas e as entrevistas parecem ter sido selecionadas de forma mais criteriosa. Que a cantora tinha sérios problemas com drogas e bebidas, não era segredo para ninguém. Mas o que me deixou muito mal foi ver que seus problemas de saúde (física e mental) já existiam desde a adolescência, e que mãe e pai (principalmente o pai explorador) não pareciam se importar. Na tela, é nítida sua evolução como artista, bem como sua deterioração como pessoa. Difícil aceitar a perda de uma pessoa tão jovem e talentosa por causa de descaso e ganância de alguns envolvidos.

4. Nina Simone – The Legend (1992)
Documentário produzido pela BBC sobre a cantora de jazz (ou, como ela preferia, “música clássica negra”) que conta sua trajetória desde a época em que tocava e cantava na igreja, passa por sua verdadeira paixão (ela queria ser pianista, mas o destino a transformou em cantora), mostra seus romances mal-sucedidos, o sucesso da carreira e seu envolvimento na luta pelos direitos civis. Uma das partes que mais gostei é quando ela, deixando evidente seu temperamento explosivo, diz que discordava de Martin Luther King quanto à abordagem da luta – se dependesse dela, daria uma arma na mão de cada cidadão negro americano e incitaria o derramamento de sangue. Polêmica! O único problema do filme é que é curto demais: só 60 minutos.

5. Pina (2011)
Documentário incrível de Wim Wenders sobre a coreógrafa e dançarina alemã Pina Bausch. Em 2009, enquanto o filme era feito, a homenageada morreu devido a um câncer diagnosticado dias antes. O cineasta, então, decidiu que, mais do que nunca, precisava levar o projeto adiante. O resultado é um deleite para os olhos. Assim como Pina levava para o palco elementos da natureza (suas coreografias quase sempre contam com terra, água, rochas) e incorporava objetos à dança (uma de suas peças mais famosas envolve mesas e cadeiras), Wim Wenders fez o caminho inverso e colocou os bailarinos para dançar em desertos, parques, praças e cruzamentos. Até dentro de um vagão em movimento eles fizeram performance. Para a coreógrafa caladona, palavras eram supérfluas – a dança é uma linguagem que se basta. Observando os movimentos precisos e intensos dos bailarinos, fica claro que ela estava certa. Lindo, lindo!

Gostaram da volta da coluna temática?
Têm outros documentários/biografias bacanas para indicar? Deixem nos comentários.

Para ver outros posts da coluna “E o tema é...”, é só clicar AQUI.

4 comentários:

Nice disse...

Oi Michelle,

Te recomendo o lindo documentário "What Happened Miss Simone?", também sobre Nina Simone.

livroseoutrasfelicidades disse...

Mi, ficou ótimo esse post e me deixou sedenta por assistir os documentários da sua seleção!

Michelle disse...

Nice,
Era esse o que eu queria ver, mas não deu. Aí assisti ao da BBC mesmo, mas imagino que esse novo seja melhor. Tks pela dica!

Julia,
Ah... que bom! Veja sim e depois me conte ;)

Jéssica disse...

Oi, você conhece o filme "Marlyin Monroe no divã"? Eu já assisti e recomendo!
Tenho muita vontade de ver o documentário sobre a Amy Winehouse.
Beijos,
Jéssica d´O Feminino dos Livros (http://ofemininodoslivros.blogspot.com.br/).