quinta-feira, 24 de março de 2016

Veja Mais Mulheres - Filme #12: A excêntrica família de Antonia


Antonia retorna para seu vilarejo natal vinte anos depois de ter partido em virtude da guerra. Com ela vai a filha Danielle, que gosta de pintar e esculpir. Como estão acostumadas a viver na cidade grande, essas duas mulheres independentes e de mentalidade aberta logo deixam os aldeões chocados. Aos poucos, elas vão transformando o povoado, e Antonia vai passando para as várias gerações de sua família seus genes revolucionários.


O vilarejo em que se passa a história é cheio de personagens peculiares: o filósofo pessimista que nunca sai de casa, a mulher que uiva nas noites de lua cheia, a menina superdotada, a mulher que adora gerar filhos, etc. Os dias são de trabalho pesado no campo, os domingos consistem em presença obrigatória na missa, a rotina quase não muda. Até a chegada de Antonia.


A força do filme está em sua protagonista e nas mudanças que ela provoca. Para começar, ela acaba com estereótipos femininos: embora seja viúva, não quer se casar; anos depois, vai propor encontros sexuais sem casamento ao mesmo homem que havia se oferecido para ser seu marido; apoia a filha quando ela decide que quer ter um filho, mas que não pretende se casar com ninguém – e vai com ela até a cidade arranjar um “reprodutor”; respeita a fato de a neta não ser do tipo maternal; encara o rapaz que abusava sexualmente da irmã. Além disso, aceita em sua casa qualquer um que precise de ajuda. E a rede de amor que constrói vai transformando o povoado em um lugar mais feliz e justo.


O filme tem vários momentos impagáveis. Um dos meus preferidos é logo no início, quando a protagonista chega ao povoado chamando a atenção dos homens, e sem demora um deles se oferece para se casar com ela, afinal, ele era viúvo, ela era viúva, e ele tinha quatro filhos que precisavam de mãe. À proposta, ela responde simplesmente que eles podiam precisar de mãe, mas ela não precisava de filhos... hahaha. O coitado do homem fica desnorteado. Como assim? Com Antonia, a resposta vem sempre na lata.


Outro momento que me fez rir foi quando a barriga de grávida de Danielle se torna evidente e, na missa, o padre escolhe uma leitura daquelas que culpam as mulheres por todas as desgraças do mundo, lançando indiretas para a moça. Só que o safado é flagrado por Antonia transando com uma paroquiana e, na celebração seguinte, o tom da pregação muda completamente, colocando a mulher como o ser mais abençoado do planeta. Nada como julgar os pecados alheios ignorando os próprios, não é mesmo?


Enfim... o filme é delicioso e estava na minha lista há muito, muito tempo mesmo. Felizmente a Cláudia Oliveira fez um post sobre ele para o #vejamaismulheres e finalmente assisti a essa produção conjunta de Holanda, Bélgica e Inglaterra. Recomendo muito!

Nota: 4/5
********************
Sobre a diretora:

Marleen Gorris nasceu em 1948 na Holanda. Ofereceu seu primeiro roteiro à cineasta belga Chantal Akerman, que sugeriu que ela mesma o filmasse, resultando em seu primeiro filme: “Uma questão de silêncio”. Seus trabalhos são conhecidos pelo viés feminista e de apoio a gays e lésbicas. Seu maior sucesso é “A excêntrica família de Antonia”, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1995. Aliás, ela foi a primeira mulher a ganhar um Oscar nessa categoria.

Este post faz parte do projeto Veja Mais Mulheres, criado pela Cláudia Oliveira. Para ver o post de apresentação que inclui minha lista de filmes e os links para as respectivas postagens, clique AQUI.  

3 comentários:

Tati disse...

Ainda não vi, vou baixar também!
Gente, lembrei da minha missa de formatura, tive que ler um trecho da bíblia bem assim mesmo, que colocava a culpa nas mulheres das desgraças todas do mundo. Eu saí pulando um monte de coisa hahahaha o padre ficou horrorizado e na homilia começou a me mandar indireta. Um dos grandes momentos da minha vida.
Beijos, Mi!

Carissa Vieira disse...

Não conhecia o filme, Michelle.
Vou começar a fazer esse projeto lá no blog. Achei incrível e tem tudo a ver com a minha pesquisa sobre a mulher no cinema.

Beijos,
Carissa
www.carissavieira.com.br

Michelle disse...

Tati,
Hahahaha... eu ri imaginando você pulando trechos e o padre mandando indiretas na formatura. Acho que você vai gostar desse filme. :)

Carissa,
Que bom que vai participar! Já aguardo posts :)