terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Filmitcho: Drive (Drive)

Domingo assisti a “Drive”. Eu já tinha lido comentários elogiando o filme e visto o recém-lançado livro na livraria, mas ainda não estava convencida. O problema é o seguinte: para mim, falou que é filme de carros, que envolve roubo e velocidade, eu já descarto. Traumas de filmes ruins do tipo "Velozes e Furiosos" (tá, o primeiro é legal), "60 Segundos” e outros de rachas que meu irmão alugava para assistir. Mas enfim... resolvi vencer o preconceito e dar uma chance ao filme. E quer saber? O filme é muito bom.

“Drive” tem um emprego meio-período de dublê em cenas de ação que envolvem carros e também trabalha em uma oficina mecânica. Ele entende tudo de carro e os pilota como ninguém. Devido a essa sua habilidade automobilística, vez ou outra ele acaba fazendo uns bicos como piloto de fuga em assaltos e roubos. Mas Drive tem uma regra clara: ele só dirige; não pega em armas, não carrega o produto do roubo, não ajuda os assaltantes e não espera mais que 5 minutos.


Tudo estava indo conforme o planejado em sua vida solitária de dublê/mecânico/piloto de fuga, até que ele conhece sua vizinha Irene, moça que trabalha duro para sustentar a si mesma e ao filho pequeno enquanto aguarda seu marido sair da prisão. Passando cada vez mais tempo com Irene e com o pequeno Benício, Driver se vê obrigado a ajudá-los quando Standard (marido de Irene), liberado por bom comportamento, é ameaçado e precisa arranjar dinheiro para saldas dívidas com bandidos e, assim, tentar manter sua família em segurança.

O diferencial de Drive em relação ao filmes de velocidade é que, embora haja carrões turbinados e corridas de tirar o fôlego, a história foca nos personagens, principalmente em Drive e em seu isolamento. Ele passa as noites vagando pelas ruas desertas de Los Angeles, dirigindo em alta velocidade e ouvindo jogos, ao mesmo tempo em que acompanha os chamados da polícia pelo rádio. Seu nome não é mencionado nem uma vez durante o filme, ninguém sabe de onde ele veio, ele não tem amigos, parentes ou namorada.

A trilha sonora merece destaque, bem como o visual “anos 80” e a imagem granulada, que criam uma atmosfera noir melancólica.

Resumindo: Drive é muito bom. Não deixe de conferir.

4 comentários:

Ciro Hamen disse...

filme maravilhoso!

danamartins disse...

Eu nem tinha ficado sabendo desse filme até ver uma partezinha no vídeo que mistura os filmes de 2011 que eu até coloquei no cctv. Fiquei tipo "mas que filme é esse? o.õ" e daí comecei a encontrar coisas sobre ele, mas até agora não sabia sobre o que era.
To com muita vontade ver.

coletivoprascucuias disse...

Pô, talvez seja bacana esse filme... mas vale no cinema? Ou no DVD pega melhor? Tava muito a fim de ver o Rin Tin Tin.

Michelle disse...

Eu vi em casa, mas acho que deve ser interessante ver no cinema. Rin Tin Tin, o cachorro? Fizeram outro filme dele?