quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Resenha: Ler, Viver e Amar em Los Angeles

Ler, Viver e Amar em Los Angeles
Jennifer Kaufman e Karen Mack
Editora Casa da Palavra
319 páginas

“Algumas comem. A maioria faz compras. Há aquelas que fumam ou bebem. Outras ligam para o terapeuta. Dora cura sua tristeza lendo – às vezes por dias consecutivos.”



A História:
Dora está na casa dos trinta anos e acumula dois casamentos malsucedidos, uma carreira de jornalista abandonada, uma relação capenga com a mãe e vários traumas de infância. O que ela faz quando está deprimida e quer fugir de tudo? Se isola durante dias em sua banheira, mergulhada em água quente e no mundo mágico dos livros. Seu vício literário foi herdado da mãe alcoólatra que também adorava ler e arrastava suas filhas em viagens a casas de autores para preencher seus dias.

A compulsão de Dora por livros faz com que ela vá à livraria McKenzie’s com frequência e acabe se apaixonando por Fred, que trabalha lá. À primeira vista, Fred é tudo que alguém como Dora poderia querer: sexy, inteligente, conhecedor de bons livros. No entanto, quando ela passa a observar melhor como ele trata as outras pessoas, principalmente sua mãe idosa Bea e sua sobrinha Harper, um alarme dispara em seu interior. Seria Fred um príncipe ou um sapo?
......

Apesar da minha resistência inicial graças a comparações inevitáveis do título com “Comer, Rezar, Amar”, a capa da moça lendo na banheira e um texto desses na orelha interna me ganharam. Não, eu não li “Comer, Rezar, Amar” nem vi o filme. Literatura “mulherzinha” não é o meu forte, mas decidi dar uma chance a "Ler, Viver e Amar..." porque falava, sobretudo, de livros. Outra coisa que achei bem bacana são as citações no início de cada capítulo, incluindo algumas pérolas como “Clássico. Um livro que as pessoas elogiam e não leem” – Mark Twain (na página 73) ou “Há dois motivos para se ler um livro: um deles é apreciá-lo, e o outro é vangloriar-se dele” – Bertand Russell (na página 105). Uma lista com todos os livros, autores e filmes citados no livro também é um ponto positivo.
Os pontos negativos são os diversos erros de digitação (espero que tenham corrigido isso na nova versão), a troca da capa (a capa nova é bonita, mas provavelmente o livro não teria chamado tanto minha atenção com uma capa só colorida) e o final feliz demais para ser crível, mas acho que nesse ponto o problema talvez seja eu, que não aprecio o velho “...e foram felizes para sempre”.
.......

A propósito, já se inscreveram para o sorteio?
Valendo 1 (um) exemplar de "Ler, Viver e Amar em Los Angeles". É só clicar no banner aí do lado, preencher o formulário e seguir as regras direitinho (ser seguidor do blog pelo Google Friend Connect e seguir o blog no Twitter e/ou no Facebook). Participem!

5 comentários:

Raíssa disse...

Ah, fiquei interessada em ler! :) Gostei da história, deve ser mesmo muito bacana!

bjs!

raqtoledo disse...

Que bacana! Amei o blog! Vou ler as outras resenhas daqui! Um beijo!

Kamila Raupp disse...

Oi Mi!
Adorei a capa do livro! Sua resenha ficou ótima também!
Chick Lit também é um estilo que não me agrada muito, mas gosta pra da um relax KAÇSDLSA

A capa da banheira da de 10 a zero nessa nova, pena terem trocado ):

Beijos, Kamila
http://vicio-de-leitura.blogspot.com

Mi Müller disse...

E ai xará!
Eu li esse há tempos atrás e também achei o final pouco crível, até mesmo fantasioso, ah não gostei mesmo da capa nova.
estrelinhas coloridas...

Sarah disse...

Acabei de ler esse Mi. Putz... bem mais ou menos. A capa realmente é ótima e as citações também. Mas de resto... pra começar, detesto livro estilo lengalenga, que não anda. Pra mim, só ficou interessante quando Bea e Harper entraram na história. Só aí engrenou... Já até pus pra troca lá no skoob rs...
bjos