terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Desafio Literário 2012: Marina (Carlos Ruiz Zafón)


Oi, pessoal!

Como foram de carnaval? O meu foi agitado: trabalhei, dei um upgrade na horta, assisti a mais filmes indicados ao Oscar 2012 e discuti muito com prestadores de serviço que tratam os consumidores como palhaços. Acho que consegui resolver minhas divergências com a empresa de celular (espero!) e dei um basta no atendimento medíocre que a empresa de TV a cabo e internet vem prestando. Como resultado, vou ficar sem internet banda larga por alguns dias até o novo provedor ser instalado aqui em casa. Vou ficar conectada só o tempo necessário para resolver assuntos de trabalho. Dando um tempo nas resenhas de filmes e aproveitando os últimos minutos da conexão antiga, vim aqui postar a primeira resenha de fevereiro do Desafio Literário 2012 – Livros com nome próprio de pessoas no título, e meu escolhido com esse tema foi "Marina", de Carlos Ruiz Zafón.


Quem narra a história em retrospectiva é Óscar Drai, garoto de 15 anos que morava em um internato em Barcelona no fim dos anos 70. Cansado do tédio reinante no colégio, ele gastava suas horas livres vagando pelas ruas labirínticas da cidade e observando mansões engolidas pelo progresso. Um dia, ele entra em uma dessas casas que julgava estar abandonada, mas acaba sendo surpreendido por uma pessoa não identificada e sai correndo desesperado, levando consigo um relógio que contém uma inscrição misteriosa. Temendo ser acusado de roubo, ele volta ao casarão para devolver o relógio e então conhece Marina, garota de sua idade que mora na casa juntamente com seu pai, Germán, e seu gato cinzento Kafka. Nasce aí uma forte amizade entre Óscar e Marina, que juntos percorrem o submundo de Barcelona para tentar desvendar o mistério da viúva que visita uma lápide com uma borboleta negra gravada.

Pelo que percebi, “Marina” foi a escolha de muitas pessoas nesta etapa do desafio. Eu optei por esse livro porque já havia lido “A sombra do vento”, do mesmo autor, e me apaixonado por seu estilo único de escrita. Adoro seu modo interessante e poético de descrever uma Barcelona que não consta nos guias turísticos:
“O frio chegou a Barcelona com seu estilo habitual: como um meteorito. Em apenas um dia, os termômetros começaram a olhar para o próprio umbigo. Exércitos de casacões saíram dos armários substituindo as leves gabardines do outono. Céus de aço e vendavais que mordiam as orelhas tomaram conta das ruas."
(páginas 50-51)

Em “Marina”, o estilo de escrita é o mesmo, mas o livro é anterior ao “A sombra do vento” e, segundo o autor, é literatura juvenil. A princípio pode mesmo parecer só mais uma aventura de uma dupla de adolescentes em busca de diversão para passar o tempo, mas no decorrer da história nos deparamos com questões bem adultas, como amor, lealdade, inveja, doença e morte. A pergunta que fica ao terminar o livro é: até onde você iria para salvar a vida de uma pessoa querida?

Intrigante, envolvente, delicado, emocionante... Marina é uma ótima opção de leitura.

6 comentários:

Bibiana disse...

Oi!
Achei muuuito legal tu ser tradutora porque é uma profissão que sempre me interessou, afinal, deve ser incrível trabalhar com livros. Tipo juntar o útil ao agradável (:
Muito legal tua resenha!
Boa sorte com as outras leituras do desafio.
Abraço!

Karla disse...

Algumas pessoas comentaram que “A sombra do vento" é um livro melhor. Eu realmente gostei muito das descrições do Záfon, é um autor que pretendo ter outros livros na minha estante. Todo mundo fala um pouco e não diz nada pois o livro tem toda a sua parte surpreendente.
E sobre as empresas... ai ninguém merece...rs

Ana Leonilia disse...

Eu não conhecia o enredo de "Marina" e nem sabia que o autor é o mesmo de "A Sombra do Vento" (eu tbm não li), mas tenho muita curiosidade. Ao que parece, a história faz muitos questionamentos que levam o leitor à momentos de reflexão.
Tenho lido muitos elogios sobre a narrativa tbm.

Vou colocar na lista! :)

Bjs ;)

danamartins disse...

Já me indicaram esse daí e a "A Sombra do Vento", mas tem alguma coisa neles que me deixa com um pé atrás. Mas acho que de uma forma ou de outra eu vou acabar lendo. Quando diminuir a minha pilha de leitura, vou pedir emprestado.

E esse estilo de escrita é realmente muito legal, não sabia que era assim até agora. Do que eu ouvi do livro, foi o que mais me chamou atenção

Vivi disse...

Ouvi tantas coisas sobre esse livro, que estou reticente se irei gostar. Acho que vou começar a conhecer a obra de Zafón por "A sombra do vento" mesmo.

Sarah disse...

Oi Mi! Estou lendo Marina e sabia que tinha visto algo sobre ele por aqui, rs... Também comecei achando que era uma aventurinha adolescente, tava até desanimando quando começou a ficar interessante. Não acabei ainda, mas curti.
E A sombra do vento, é bão tb??
bjos!