quarta-feira, 7 de março de 2012

Séries: American Horror Story


American Horror Story é uma série norte-americana criada por Ryan Murphy. Para quem não está ligando o nome à pessoa, ele foi o responsável pela criação e roteiro de Nip/Tuck, ou seja, se tem uma coisa que podemos esperar de um trabalho dele é altas doses de bizarrice e tensão sexual (OK, ele também está por trás de Glee e da adaptação cinematográfica de “Comer, Rezar, Amar”, mas vamos desconsiderar essa parte).

A ideia central não tem grande mistério: família se muda para um casarão macabro que está a venda por um valor muito abaixo do mercado e no qual ninguém quer morar, tudo isso por um motivo simples: a casa foi cenário de várias mortes violentas, inclusive de seus ex-moradores. Como em qualquer obra de terror que se preze, nossos bravos protagonistas têm a ilusão de que com eles será diferente e decidem comprar a propriedade mesmo assim. E é então que tudo começa a dar errado...

A família que acaba de se mudar para a casa assombrada é formada pelo terapeuta Ben Harmon (Dylan McDermott), sua esposa Vivien (Connie Britton) e a filha do casal, a jovem Violet (Taissa Farmiga). Ben e Vivien estão tentando se acertar depois do caso extraconjugal de Ben com uma aluna, enquanto Violet é a típica adolescente esquisita que busca se encaixar na escola e odeia o mundo. Outros personagens que merecem destaque são Constance Langdon (Jessica Lange), a vizinha prestativa e “entrona” que parece viver em décadas passadas. Ela tem uma filha portadora de Síndrome de Down chamada Adelaide, ou Addie (Jamie Brewer), que está sempre aparecendo misteriosamente na casa dos Harmon, e também é mãe de Tate (Evan Peters), adolescente possivelmente psicótico que começa a se tratar com Dr. Harmon e acaba se apaixonando por Violet. Moira O'Hara (vivida por Frances Conroy no tempo atual e por Alexandra Breckenridge quando jovem) também é um personagem importante, já morava na casa e trabalha como governanta da família. Para fechar nosso núcleo de personagens principais, temos Larry Harvey (Denis O’Hare), sujeito esquisitão com rosto parcialmente queimado que vive cruzando o caminho do Dr. Harmon e o chantageando.

Visualmente, a série é impecável. Cenários sombrios e elegantes servem de palco para muitos banhos de sangue. A abertura do programa é um show à parte. Instigante, perturbadora e com trilha sonora sob medida. Aliás, a trilha sonora é sensacional, especialmente nas cenas de Violet, e inclui clássicos instrumentais como Twisted Nerve (a música do assobio de Kill Bill) e Dracula – The Beginning (do Drácula de Bram Stoker). A sensação que tive ao assistir os dois primeiros capítulos foi que havia um excesso de personagens bizarros. Filmes de terror sempre contam com esse tipo de personagem, mas no máximo uns dois. Em American Horror Story, todo mundo parece ter saído de um pesadelo. Isso me incomodou e cheguei a pensar que assistir a AHS seria perda de tempo. Mas, como não sou de desistir logo de cara e como havia lido muitas críticas elogiosas, decidi continuar. E não me decepcionei!

A trama se passa nos dias de hoje, mas a cada episódio conhecemos o passado de algum personagem. A casa é o elo de ligação entre todos eles. Aos poucos, vamos nos familiarizando com aquelas pessoas e seus dramas. De algumas, senti pena; de outras, raiva. O Dr. Harmon, por exemplo. Inacreditável o nível de cafajestagem do safado! Já a tonta de Vivien me deu vontade de chacoalhar para ver se a infeliz tomava alguma atitude. Jessica Lange, que estava meio sumida, sempre rouba a cena. Ela me fez querer ajudá-la em algumas ocasiões e torcer seu pescoço em outras. Mas meu personagem favorito, sem dúvida, é o Tate, que alterna surtos de psicopatia com momentos de ternura. Sua dedicação a Violet é de causar inveja.

Há muita coisa sobre a série na internet, mas aconselho a quem não viu e pretende ver que não fique procurando detalhes. Sério. Não leia JAMAIS a página de AHS do Wikipedia. É uma grande compilação de spoilers!

A série fez tanto sucesso que a segunda temporada já está garantida e sua estreia nos Estados Unidos está prevista para o Halloween. Quem quiser saber mais (sem spoilers) sobre AHS e acompanhar em primeira mão notícias fresquinhas, visite o site oficial em inglês e o American Horror Story Brasil.

E agora, além de Dexter, também fico ansiosa aguardando a nova temporada de AHS...
Para aguçar a vontade, vejam o vídeo promocional da série.
bjo!

2 comentários:

Raíssa disse...

AAAi, amo essa série! Comecei a assistir pela tv mesmo, mas consegui assistir em sequência só até o 5º ep mais ou menos... Por causa do trabalho, chegava muito tarde e às vezes já tinha terminado... :/ Mas realmente, a série é muito boa, as personagens são ótimas, e a trilha sonora é fantástica! (só música boa, bem assustadora, haha!)

Tbm não aconselho a quem nunca viu a série sair procurando coisas... Eu mesma já levei vários spoilers, todos pela droga do tumblr, porque a galera fica postando coisa sobre a série compulsivamente... >.<

Aaai, Tate! *-* Todas ama!

Ótima dica! bjs!

Karla disse...

Eu tb achei que a série seria perda de tempo... Não sei me incomodava mesmo no início, mas aos poucos tudo foi se construindo e eu gostei muito. Mas uma das melhores interpretações, pra mim, partiu da Frances Conroy no episódio que ela encontra a mãe... achei que ela estava fantástica!
Eu não imagino como que eles vão continuar a série...
E sobre Dexter, sem palavras! Tô muito ansiosa!