sexta-feira, 1 de junho de 2012

Série: The Killing - 1a Temporada


A dica de hoje é para fãs de séries policiais, especialmente aqueles saudosos de Twin Peaks. A trama, inclusive, é bem parecida: Rosie Larsen, garota de 17 anos, é encontrada morta e, durante a investigação, os suspeitos mudam o tempo todo e um perigoso jogo de mentiras vem à tona.

"The Killing" é a versão americana baseada na série original dinamarquesa “Forbrydelsen”. Sai Copenhague e entra Seattle como palco da história. Em um cenário cinzento, chuvoso, de becos escuros e áreas pobres e abandonadas, o clima depressivo e opressor é mantido em todos os episódios. A série, que tem um total de 13 episódios, acompanha o dia a dia das investigações, e cada episódio representa 1 dia da vida dos personagens.


A detetive encarregada do caso é Sarah Linden (Meirelle Enos), que descobre o corpo às vésperas de sua transferência para a ensolarada Califórnia. Às voltas com a preparação de seu casamento e com a mudança, ela fica dividida entre sua vida profissional e pessoal, já que o casamento e a mudança representam para ela uma segunda chance de tentar ser feliz. Pressionada pelo chefe e pelo futuro marido, ela ainda tem que lidar com as rebeldias de seu filho de 13 anos e treinar seu substituto, por quem nutre desconfianças.


O substituto em questão é Stephen Holder (Joel Kinnaman), sujeito meio estranho que se diz vegetariano apaixonado por torresmo e tem uma coleção de frases de efeito irônicas. Veio transferido do Departamento de Narcóticos. Com um passado de vícios e atitudes suspeitas, ele tenta de todas as formas apoiar Sarah e ganhar sua confiança.

A série é muito tensa, pois, além da investigação, acompanhamos de perto o sofrimento da família Larsen: Mitch (Michelle Forbes), a mãe, fica desolada e vaga como um fantasma pela casa, negligenciando os dois filhos pequenos; Stanley (Brent Sexton), o pai, tenta achar um jeito de suportar a perda da filha, cuidar dos filhos, superar os problemas financeiros e ainda encarar erros do passado; Terry (Jamie Anne Allman), irmã de Mitch, se desdobra para cuidar dos sobrinhos enquanto a irmã está em estado de choque, tentando dar um rumo para a própria vida.

Paralelamente, temos as eleições para prefeitura da cidade. Os concorrentes são o atual prefeito Lesley Adams (Tom Butler) e o vereador Darren Richmond (Billy Campbell). Adams usa o apoio dos sindicatos com promessas de revitalização da área portuária de Seattle, ao passo que Richmond está envolvido com programas para população carente e busca o suporte financeiro do milionário Tom Drexler (Patrick Gilmore) para dar continuidade à sua obra. Enquanto Adams usa todas as artimanhas políticas para derrubar o adversário, Richmond sofre com dilemas éticos e morais, e sua candidatura é afetada quando o corpo de Rosie é encontrado no porta-malas de um dos carros de sua campanha. Para piorar, ele tem uma relação de proximidade com a comunidade islâmica local, e Bennet Ahmed (Brandon Jay McLaren), seu braço direito no programa de jovens pobres e ex-professor de Rosie, é um dos principais suspeitos do caso.

Com uma trama envolvente e ótimas atuações, “The Killing” prende a atenção do começo ao fim. A série recebeu três indicações do 1st Critics' Choice Television Awards (o prêmio dos críticos de TV dos EUA): Melhor Série de Drama, Melhor Atriz (Mireille Enos) e Melhor Atriz Coadjuvante (Michelle Forbes). No Brasil, a primeira temporada de “The Killing” estreou em setembro de 2011 no A&E e, até onde eu sei, a segunda temporada ainda não tem data de estreia. Mas nada que a internet não resolva, né? Já “Forbrydelsen”, que no Brasil ganhou o nome de “The Killing - História de um Assassinato”, estreou na Globosat HD em 27/02/2012 e tem 20 episódios. Infelizmente perdi o começo, agora vou ter que esperar a reprise ou a disponibilização para download.

É impossível não se solidarizar com a tristeza dos Larsen, não se sentir culpado como Sarah, não odiar a a sujeira impregnada na política. Além disso, a forma como a investigação é conduzida nos manipula continuamente, fazendo com que a gente suspeite de uma pessoa, depois duvide de outra, e por fim pense mal de um terceiro... E confesso que me apaixonei pelo Holder. Todo mano e arredio, aos poucos ele vai se revelando. Terminei a série na quarta e estou até agora tentando me recuperar do fim da primeira temporada. Não vejo a hora de ver a continuação da história!

No site do canal AMC sobre a série (em inglês) dá para conhecer o elenco, ver fotos, assistir a vídeos de bastidores, fazer download de papéis de paredes, e muito mais. Só cuidado para não dar de cara com spoilers.

6 comentários:

Ana Leonilia disse...

Oi, Michelle :) Eu curto séries policiais e passei muito tempo acompanhando CSI Las Vegas. Gostei da sua dica. A idéia de relacionar casos e vida pessoal é bem comum nessas séries e consegue mesmo prender o espectador. Além disso, reúne personagens complexos.

Bjs ;)

Nice disse...

Gostei da dica...vou procurar pra assistir. Beijos

Raíssa disse...

Adorei a dica! :D Como já te disse, essa série tá na minha lista, espero poder ver nas férias! :) Tô numa onda de séries mais sérias, acho que essa é uma boa aposta.

Nem acredito que passava no A&E, esse canal pega em casa, mas acho que eu nem prestei atenção nisso... :(

bjos!

Nice disse...

Oi Mi....
voltei pra agradecer a dica...é a segunda série que eu assisto por indicação sua e não me arrependo. Estou baixando a 2ª temporada...Beijos

Michelle disse...

Que bom que gostaram da dica.
Eu tb não sabia que tinha passado no A&E. Esse canal às vezes passa umas coisas boas, mas é meio esquecido, coitado.
Tb estou baixando a segunda temporada. Megacuriosa!
bjo

Rebeca De Oliveira disse...

Oi queria que vc tirasse uma dúvida.. Pq o Vereador deixou Gwen para escanteio? no último episódio..,ele também estava no meio do acontecido?, realmente n entendi se vc puder me responder agradeço :).