sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Discos que Ouvi Até Gastar: Metallica - Metallica (Black Album)


Desenterrando uma série que comecei e não dei continuidade (praxe!), hoje trago para vocês mais um post dos Discos que Ouvi Até Gastar: Metallica – Metallica (Black Album).

Também conhecido como “Black Album” ou “Álbum da Capa Preta”, "Metallica" é o quinto disco da banda, lançado em 1991. Recheado de pérolas, o disco é daqueles para se ouvir no talo, do começo ao fim. Na época do lançamento, os fãs mais xiitas ficaram indignados por causa da mudança no som da banda, mas as novidades agradaram aos críticos e conquistaram novos fãs (eu, inclusive). O álbum ganhou vários prêmios e entrou para a lista dos 200 Álbuns Definitivos do Rock And Roll Hall of Fame.

Além das ultra-mega-power executadas “Enter Sandman”, “The Unforgiven” e “Nothing Else Matters”, o disco tem uma das minhas músicas favoritas, que inclusive era o nome antigo do blog: “Sad But True”. Som arrebatador e letra perfeita.

Eu já falei AQUI dos folhetinhos de letras traduzidas do Fisk, né?
Então... além de matar a curiosidade sobre o que cantavam as bandas, os tais folhetinhos tiveram outra função muito importante na minha adolescência: faziam parte das aulas de inglês da escola. Sim, porque não sei se já contei aqui que minhas aulas de inglês da sétima e oitava séries se resumiam a escolher uma música por mês, tirar cópia da letra, distribuir para os outros grupos da classe e ficar pagando mico lá na frente, em um misto vergonhoso de dublagem e murmúrios. Fascinante, não? Bom, quando não era dia de prova (inacreditável, mas essa era a prova), a gente ouvia a professora falar por horas e horas sobre as filhas, o PT e as viagens a Miami (com direito e exposição de muambas e tudo o mais).

Deixando a triste realidade do ensino público de lado, as aulas serviram para que eu conhecesse melhor o Metallica e incluísse a banda na minha lista de preferidas. Claro que um dos coleguinhas me emprestou a fita K7, que foi devidamente copiada e tocada até gastar. Daí comprei o CD (que veio sem nada dentro, só a caixinha – é, eu tenho sorte), que ainda hoje mora em casa e é frequentemente convidado a dar umas voltinhas no aparelho de DVD. Sua versão convertida em mp3 ocupa lugar de destaque no meu player e as músicas compõem a trilha sonora de muitas das minhas viagens de metrô.

Outros Discos que Ouvi Até Gastar:
 ***************
O post foi ao ar em um dia diferente, então acabei não falando dele aqui, mas esta semana teve indicação de filme lá no Equalize da Leitura: Confiar. Recomendo a quem gosta de dramas ou a quem é acompanha a carreira dos ex-atores de Friends e gosta de saber o que eles andam fazendo (a direção do longa é do David Schwimmer, o Ross).

5 comentários:

lualimaverde disse...

Michelle, esse disco também tocou muito no meu sonzinho, mas meu preferido do Metallica é o Ride the Lightning, esse sim eu ouvi até gastar, eu tinha os 5 primeiros álbuns deles todos em K7, rs, ouvia muito. Inclusive faz um tempinho que não escuto, deu vontade agora. =)

Karla disse...

Nossa Mi!

E foi assim que eu comecei a ouvir Metallica. Com a "The Unforgiven", depois conheci toda a discografia. Concordo com a Lua aí em cima, Ride the Lightning, depois que eu já gostava da banda, foi meu achado :)

Por que você faz poema? disse...

Ouvi, mas para não gastar, And Justice for All, talvez minha vitrola, e os meus vizinhos, tenham cansado do The Queen is Dead, dos Smiths.

Cah disse...

To caçando as dicas de vocês pra saber por onde começar a conhecer Metallica!
E olha, minhas aulas de inglês no colégio se resumiam a conjugar o verbo to be... triste...
E mudando de assunto, Mi, onde você conseguiu achar o José e Pilar???

Bjaummm

Marcia Cogitare disse...

Metallica mora no meu coração, sempre revisito os cds.

Adorei suas histórias Michelle,rs