sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Série: Broen/Bron/The Bridge


“Broen”, “Bron” ou “The Brigde” é uma série policial produzida e ambientada na Dinamarca e na Suécia. Tudo começa quando o corpo de uma mulher é encontrado exatamente no meio da ponte que liga os dois países. O que parecia ser inusitado se revela apenas o início de uma série de casos saída da mente de um inteligente criminoso que pretende expor problemas sociais graves dos dois países.

O corpo foi colocado na ponte deliberadamente, para que as polícias da Suécia e da Dinamarca trabalhassem juntas. Do lado sueco, quem assume a investigação é a detetive Saga Norén (Sofia Helin), uma pessoa com inteligência muito acima da média e altamente perspicaz, mas que tem zero de traquejo social (mais ou menos uma versão feminina do Sheldon de Big Bang Theory). Do lado dinamarquês, Martin Rohde (Kim Bodnia) é encarregado do caso.


A dupla de investigadores não poderia ser mais controversa: enquanto Saga é a personificação da razão e do método (muitas vezes parecendo um robô), Martin é o cara que ainda acredita nas pessoas, embora esteja em contato constante com a podridão humana. Além disso, ele vive uma situação conturbada em casa, onde mora com a segunda esposa e três filhos pequenos, bem como com o filho de 20 e poucos anos do primeiro casamento, que o acusa de ter sido um pai ruim e o culpa pelo divórcio.


A série tem diversos personagens secundários que vão se revelando aos poucos, conforme o quebra-cabeça vai sendo montado. Um que merece destaque é o jornalista egocêntrico Daniel Ferbé (Christian Hillborg), o contato escolhido pelo criminoso para divulgar suas mensagens e fazer exigências. Sabendo lidar muito bem com a mídia, o bandido manipula o jornalista e faz excelente uso da imprensa, da TV e da internet para apresentar os já mencionados problemas sociais e, mesmo utilizando violência, acaba ganhando o apoio popular.


Desde que terminei de assistir às duas temporadas de “The Killing”, estava me sentindo órfã do universo escandinavo. OK, a versão que vi era americana, mas o “espírito” escandinavo foi mantido. Em “The Bridge”, os elementos que tanto me fascinam estão lá novamente: cenários simples e meio decadentes, mais próximos da realidade e sem a ostentação e assepsia dos programas americanos, o clima constantemente frio e cinzento, que oprime e traz melancolia, a burocracia e tecnologia nem tão de ponta das polícias.


E adoro a Saga. Ela é tão sem noção de como agir em situações sociais que dá pena, embora às vezes dê raiva, e, muitas vezes, faça rir. Exemplo típico de comportamento de Saga: Na delegacia, colegas de trabalho se reúnem em volta de uma mesa, tomando café da manhã e jogando conversa fora. Saga se aproxima e se senta. Todos se calam. Ela pergunta: “Sobre o que estão falando?” Alguém responde: “Nada específico, só conversando”. Ela, tentando falar sobre amenidades: “Fiquei menstruada hoje”. Não é muito Sheldon?


A série foi exibida pela Globosat HD e terminou esta semana. Embora o caso tenha tido um desfecho, a segunda temporada já foi confirmada. A continuação começa a ser produzida este mês e deve estrear no Reino Unido no segundo semestre de 2013. Vai ser uma looooonga espera. Ainda bem que tenho umas 973469230 séries para ver enquanto isso.

8 comentários:

Jacqueline Braga disse...

não conhecia a série,mas adoro séries de investigação.Atualmente estou acompanhando tantas séries e sem conseguir dar conta,mas depois que minha baby nascer,vou precisar de uma distração para as madrugadas insoneshahahah
bjos

livroseoutrasfelicidades disse...

Essa série deve ser boa, não?! Depois do sucesso da trilogia Millenium, os países nórdicos estão na moda e é interessante ter contato com uma visão de mundo diferente.

Michelle disse...

Jacque,
É verdade. Ótima opção para as noites mal dormidas...rs

Júlia,
Uma das melhores séries que vi ultimamente. Eu devorei a Trilogia Millenium, mas, para mim, tudo começou com o filme "Deixa ela entrar". Gosto muito da visão realista/pessimista deles.
bjo

Raíssa disse...

Meudels, quero ver! *-* The killing ainda tá na fila, mas agora tô fazendo uma maratona Breaking Bad, enquanto não termina a terceira temporada de Boardwalk e a segunda de AHS (sim, porque eu só vou assistir qdo terminar, porque é agonia demais ver um ep. por semana... >.<)

Adorei a dica! E essa Saga é meio Spock, né? Como não amar? XD~

bjs!

Michelle disse...

Nem comecei a ver Breaking Bad com medo de viciar. Eu também só vou assistir a 2a temporada de AHS quando tiver baixado todos os episódios. É tensão demais!
Hum... não conheço bem o Spock, só "de vista" (rs).

Joana disse...

Olá!
Também amei e fiquei ligadíssima nessa série.
Outra ótima série que acabei de assistir o ultimo episodio pelo mesmo canal, foi a série belga, falada em holandês: "Code 37" . Prende tb, do início ao fim.
E, no mesmo canal, para quem gosta do estilo, está passando toda 2a feira, 22 horas, a série dinamarquesa , "Forbrydelsen", que na versão americana recebeu o título "The Kiling".
Gostei muito do seu blog.
Beijinhos

Michelle disse...

Oi, Joana!
Viciei em Broen. Não vejo a hora de conferir a segunda temporada. Eu assisti a The Killing e adorei. Imagino que a versão original deva ser ainda melhor. Quanto ao Code 37, não conhecia. Vou procurar para assistir. Valeu pela dica e volte sempre!

Teresinha Vpa disse...

gostaria de saber o nome da musica do inicio do filme the bridge. obrigada