quarta-feira, 6 de março de 2013

Filme: Paris-Manhattan



Alice Ovitz (Alice Taglioni) é uma garota considerada “estranha” porque está na casa dos trinta anos, vive com um livro nas mãos, não liga para roupas e, para piorar, sua família acha que ela tem um defeito sério: não está casada, namorando nem tem nenhum pretende em vista. Para corrigir o problema, seus familiares estão sempre arranjando encontros para ela, o que a deixa extremamente irritada. Num desses encontros ela conhece Victor Blanc (Patrick Bruel), mas o rapaz tem a audácia de dizer que nunca viu um filme do Woody Allen, o grande guru e “muso” inspirador de Alice.

 


Outro dia, postei aqui a resenha de "Como Woody Allen Pode Mudar Sua Vida", um livro de autoajuda que decidi encarar simplesmente pelo fato de trazer na capa o nome de um dos cineastas/escritores mais brilhantes ainda vagando pela superfície terrestre. Admiro muito o trabalho do cara e basta eu ver seu nome em alguma coisa que já me interesso, mesmo que, no fundo, eu saiba que se trata de um chamariz que não honra o homenageado.


Enfim... a Alice do filme leva essa admiração a um novo patamar, transformando-a em um tipo de obsessão. Apaixonada pelo Allen desde que viu um filme dele pela primeira vez, aos 15 anos, ela elevou o autor à categoria de divindade: possui uma foto enorme do Allen emoldurada na parede do quarto e conversa com ele todos os dias, frequentemente pedindo seus conselhos. Como se não bastasse, ela ainda prescreve filmes do diretor aos clientes de sua farmácia como se fossem a cura para todos os males.


Os diálogos com o retrato são muito engraçados, já que o próprio Allen gravou a voz da fotografia conselheira. Ele até aparece em uma das cenas finais, entrando no clima da brincadeira. No entanto, o filme promete mais do que cumpre. Os comentários ácidos e as neuroses das relações humanas que se tornaram a marca registrada do cineasta não dão as caras nesta produção, e a trama se desenrola de modo óbvio e morno. Ter como palco a cidade dos apaixonados e não explorar melhor a locação também foi decepcionante.


“Paris-Manhattan” é uma comédia romântica gostosinha de assistir, mas que fica devendo muito à sua fonte de inspiração. Vale como curiosidade para os fãs do baixinho nova-iorquino e para quem está a fim de curtir um filminho leve e descompromissado.

2 comentários:

Claudia disse...

Oi Michelle
Estou curiosa pra assistir.
Um ótimo final de semana!!
Bjks

Michelle disse...

Oi, Clauo!
É um passatempo bem legal.
Um ótimo fds pra vc também!