quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Solanin (1 & 2)


As aventuras e desventuras de um grupo de amigos de vinte e poucos anos em Tóquio. Impossível não se identificar com esses jovens que lutam para assumir as responsabilidades e chatices da vida adulta enquanto tentam manter vivos os sonhos da adolescência.

A primeira vez que ouvi falar de “Solanin” foi em uma resenha da Luara e, depois, tive ótimas recomendações da Maura. Não sou muito chegada a gibis e principalmente a mangás porque: 1) as séries têm um número infinito de volumes e não tenho paciência para acompanhar e 2) muitas vezes as editoras de mangás param de publicar os volumes do nada e te deixam sem saber o fim da história. Mesmo assim, anotei a dica e comprei os dois (e apenas dois) volumes de “Solanin” em uma promoção para ler um dia. E eis que esse dia chegou...

Fui cativada logo nas primeiras páginas, com os comentários amargos, porém muito reais, de Meiko sobre os sentimentos ruins que cultivamos no dia a dia, especialmente nas grandes cidades, potencializados ao máximo em algumas situações, como o transporte público. Sim, me vi ali no metrô, desejando a morte dolorosa dos meus companheiros de viagem. Felizmente não passo mais por isso todos os dias, porém as más recordações ficaram para sempre.
(Clique para ampliar)

Ao longo da história, acompanhamos a solidão de Meiko em meio a milhões de habitantes, sua frustração com o emprego monótono que servia apenas para pagar contas, a irritação com o namorado que se escorava nela enquanto seguia buscando seu sonho de se tornar músico, a constatação da dissolução do amor que parecia eterno. Um dia, ela resolve abandonar o emprego para viver de fato, jura a si mesma que aproveitaria cada minuto de sua recém-conquistada liberdade, decide por um fim ao relacionamento que não a satisfazia mais... No entanto, como sempre acontece, a realidade é bem diferente do que idealizamos e Meiko não consegue fazer nada do que havia planejado e se sente cada vez pior.

Além de Meiko, também conhecemos a rotina, um pouco do passado e os anseios de Taneda (o namorado sonhador de Meiko), Ai (a melhor amiga de Meiko), Billy e Kato (amigos e companheiros de banda de Taneda). Embora eu claramente me identifique mais com Meiko, consegui me ver nas atitudes de todos os amigos em determinados momentos. Sabe aquela eterna dúvida entre viver ou sobreviver? Então... a história deixou um gostinho de nostalgia da adolescência com um leve toque de melancolia e decepção com o futuro. Achei lindo, mas de certa forma triste.

Não tenho muito mais o que falar. Apenas leiam!



OBS: No site da L&PM dá para baixar as primeiras páginas do volume 1. Comece a ler da última página para a primeira, do quadrinho da direita para a esquerda. ;)


2 comentários:

Lígia disse...

Esse mangá parece ser muito bom, quero ler. :)
Apesar de eu gostar de assistir animes, não gosto tanto de mangás por serem longos (e aí fica caro comprar tudo), mas esses de um ou dois volumes são bem tentadores.

lulunettes disse...

Solanin é incrível! Uma das minhas melhores leituras de 2012! Chorei muito no segundo volume, quando Meiko toca a música escrita por Taneda. As personagens e situações criadas por Inio Asano são tão palpáveis que a uma troca de identificação com o leitor.
Beijos!