segunda-feira, 10 de março de 2014

Mês do Suspense


Março vai ser um mês tenso...
Mas, calma, não é nada grave. Vocês vão gostar das palpitações, do suor frio, da boca seca. É que este é o mês do suspense! Como esse é o tema das minhas leituras do Desafio Literário Skoob 2014 e do Desafio Diversidade Literária 2014, resolvi aproveitar para, com outros amigos, fazer um mês temático, com dicas de livros, filmes e séries desse que é o meu gênero preferido de histórias. Preparem-se porque a partir de agora vocês vão encontrar por aqui e nos blogs/vlogs participantes muitos crimes bizarros, assassinos cruéis, investigadores perspicazes, mistérios inquietantes e thrillers de tirar o fôlego.

Para começar, vou falar um pouquinho sobre alguns subgêneros do suspense. O “whodunnit” (abreviação de “who done it?”) é aquele tipo de história policial em que o mistério sobre quem matou/roubou é mantido até o final. Ao longo da trama, falsos suspeitos são introduzidos para tentar despistar o leitor. O mais legal desse tipo de histórias é bancar o detetive e tentar descobrir o culpado antes do desfecho.

Destaques da categoria: Agatha Christie com seus investigadores Miss Marple e Hercule Poirot; Arthur Conan Doyle e seu lendário Sherlock Holmes; Georges Simenon e seu Comissário Maigret.


Já nas histórias do tipo noir (do francês "preto"), os detetives não se valem apenas de suas mentes aguçadas: usam também a violência física para conseguir resolver os casos. O ambiente desse tipo de história é sempre decadente, mas ainda guarda uma nostalgia e um certo glamour. Ah... nenhuma trama noir está completa seu uma garota linda e sexy.

Destaques da categoria: os americanos Raymond Chandler e James Ellroy são dois grandes exemplos.


Um subgênero que se popularizou muito graças às séries de TV como CSI é o dos thrillers médicos, no qual o protagonista, além de ser policial, também possui vasta experiência médica (ou possui um parceiro com tais habilidades), o que permite investigações sobre epidemias, doenças raras, erros médicos e transtornos psiquiátricos.

Destaques da categoria: Robin Cook (um dos "pais" deste subgênero), Patricia Cornwell (e sua série sobre a médica-legista Kay Scarpetta) e Tess Gerritsen (e a dupla formada pela detetive Jane Rizzoli e pela médica-legista Maura Isles).


Nos thrillers jurídicos, como o próprio nome já indica, a ação acontece predominantemente nos tribunais. Advogados de acusação e defesa, réus, juízes e policiais: todos estão envolvidos em uma trama de mistério que só se resolve no final. O negócio aqui é a busca de evidências perdidas e a análise cuidadosa de provas e processos atrás de falhas que possam absolver ou condenar um suspeito.

Destaques da categoria: Erle Stanley Gardner foi um dos pioneiros do gênero, e, atualmente temos John Grisham, onipresente em adaptações para o cinema.


E como não falar das histórias de espionagem? É nessa categoria que encontramos agentes secretos e espiões que lidam com crimes internacionais e situações diplomáticas delicadas.

Destaques da categoria: o primeiro que me vem à mente é Ian Fleming (e seu Bond, James Bond), seguido por John Le Carré (criador do agente George Smiley, totalmente o oposto do sedutor 007) e Clive Cussler (o herói Dirk Pitt se encaixa nesta categoria).


Por fim, mais dois subgêneros que frequentemente andam juntos: thriller psicológico e serial killers. No primeiro caso acompanhamos os efeitos devastadores do medo e da paranoia na mente de um personagem. Quando o thriller psicológico se une à trama de serial killers, a narrativa geralmente é feita do ponto de vista do criminoso, o que nos torna praticamente cúmplices do assassino. Sabemos como sua mente doentia funciona, sentimos raiva e, ao mesmo tempo, somos hipnotizados por suas ações repugnantes.

Destaques da categoria: Thomas Harris (quem resiste às insanidades do Hannibal Lecter?), Jeff Lindsay (e como detestar Dexter, o serial killer com cara de bonzinho?) e Stieg Larsson (tem apenas três livros escritos, mas a saga de Lisbeth Salander deixou sua marca a abriu as portas do país para os escritores escandinavos).


Bom, acho que já deu para ter uma ideia do que espera por vocês aqui, né?
Logo, logo tem mais!

Enquanto isso, vocês podem conferir mais postagens e vídeos temáticos nos seguintes blogs/vlogs:
Coolture News
Na Próxima Página
Não Sou Crítico Literário

8 comentários:

biblioconto disse...

Olá, Michelle! ADOREI esse post de dicas e esclarecimentos sobre os vários subgêneros do suspense. Adorava demais a Agatha Christie, até fiquei com vontade de ler um suspense... Pra cumprir o desafio do Skoob desempoerei o meu exemplar de "O nome da rosa" que está aqui há seculos. Estou gostando muito também!

Não vejo a hora de ler os próximos posts dessa série!

Besos!
Olivia

Flávia disse...

Michelle,

Adorei seu post. Também adoro literatura de suspense de todos os gêneros e vou aguardar suas dicas. Apesar de tudo ainda não li a maioria dos que você citou, embora eles estejam me aguardando na minha estante.

Beijos!

Tamara Costa disse...

Nossa, adorei! Eu nem me lembrava (ou sabia) que haviam tantos sub-gêneros dentro do suspense :P
Dos que você citou só não sou chegada nos jurídicos e de espionagem, mas sou LOUCA pelos psicológicos. Ainda não li os médicos mas pretendo logo logo.

Abraços,
Tamara Costa
http://www.doseliteraria.com.br/

Sarah disse...

Que legal Mi, não sabia que o suspense tinha tantas categorias! E qual vc está lendo pro desafio?
Eu estou chegando na metade de No Escuro. Pelas suas descrições aqui, é um thriller psicológico não? Estou adorando, agora estou bem na parte que "vou ler só mais um pouquinho pra saber o que aconteceu", "nossa, mas será que ela.... xo ler mais um capítulo"... sabe? :)

livroseoutrasfelicidades disse...

Só tenho uma coisa a dizer: eeeeeeeeeeeeeba!

Michelle disse...

Que bom, Olivia!
Eu separei "O nome da rosa" para ler, mas só em outro mês. Depois quero saber o que você achou.

Flávia,
Quando comecei a pesquisar para escrever o post, vi que tem muitos autores fundamentais do gênero que eu desconheço totalmente. Fiquei com vontade de ler tudo!

Tamara,
Eu adoro filmes de tribunal, mas estranhamente nunca li nenhum livro desse subgênero. Os psicológicos são meus favoritos também. Pessoas perturbadas dão ótimos personagens, né?

Sarah,
Estou lendo meu 3o do desafio. Ainda está semana posto a resenha do primeiro. "No escuro" é muito viciante e aflitivo! Bem assim "só mais uma página!"...rs

Julia,
\o/

Lua Anna Costa disse...

Michele, adorei descobrir tantas denominações diferentes. só conhecia a de detetives e do psicológico. Achei bastante intrigante e estimulante tantas dicas novas para ler. Vou acompanhar a série. Beijos!
www.viagensesquizofrenicasalua.blogspot.com.br

Michelle disse...

Oi, Lua Anna!
É bastante coisa mesmo. Um prato cheio para quem curte o gênero. Seja bem-vinda!