terça-feira, 18 de março de 2014

Série: True Detective


Aproveitando o Mês do Suspense, vim falar pra vocês um pouco sobre ‘True Detective’, a série policial da HBO que está na boca de 11 entre 10 fãs do gênero – e até daqueles que não costumam assistir esse tipo de programa. Por que tanto estardalhaço? Bem, para entender de verdade, só assistindo. Para ter algumas pistas do que esperar, leia o post ;) 


A série começa mostrando, intercalados, trechos de depoimentos dos ex-detetives e parceiros Martin Hart (Woody Harrelson) e Rust Cohle (Matthew McConaughey). Conforme eles dão suas versões dos acontecimentos, somos transportados para 17 anos atrás, época em que investigavam a morte de uma jovem, encontrada amarrada a uma árvore, com galhadas e uma estranha tatuagem das costas. Aos poucos, vamos conhecendo detalhes de um crime que envolvia uma série de outras mortes, rituais pagãos, pedofilia e interesses políticos.


Como fã de histórias policiais, estou sempre em busca de novidades. Quando vi que havia uma série nova, com uma temporada fechada de apenas 8 episódios, estrelada por Woody Harrelson (um ator que admiro) e Matthew McConaughey (que ganhou meu respeito com seu trabalho sensacional em ‘Clube de Compras Dallas’ e sua brilhante participação em ‘O Lobo de Wall Street’), me interessei imediatamente. E assim que, extasiada, terminei de ver o primeiro episódio, percebi que estava diante de um programa diferente, que vai além da simples investigação para solucionar o crime e concluir a história, que não conta com tecnologia de ponta, que não tem heróis como protagonistas, mas sim policiais normais que, além de tentar manter a sanidade frente aos horrores que vivenciam diariamente no trabalho, se empenhar para encerrar um caso para dar paz às famílias afetadas pela perda e enfrentar a burocracia, o jogo de interesses e a má vontade dos superiores, ainda mostram seu lado mais frágil, de homens comuns.


Uma das coisas mais bacanas da série é ver a cumplicidade existente entre Martin e Rust, apesar de terem personalidade e crenças totalmente opostas: enquanto Martin faz o tipo casado/pai da família (um tanto hipócrita, diga-se de passagem) que acredita no ser humano e em Deus, Rust é o cara com um passado trágico, que faz o tipo caladão e niilista. Grande trunfo do programa, os diálogos entre os dois têm grande teor filosófico que levam à reflexão. Além disso, é incrível notar como a relação inicial meio fria e estritamente profissional entre eles se transforma ao longo dos anos em uma amizade sincera, apesar de todos os problemas que enfrentam pelo caminho. A mudança dos personagens também é notória, não só fisicamente, mas também comportamental.


Além disso, o show merece destaque pela linda fotografia e pela trilha sonora, que ajuda a transportar o telespectador para as desoladas paisagens de Louisiana. Só pela abertura, já dá para ter uma ideia do que vem pela frente. Aliás, a série ficou tão famosa e ganhou tantos admiradores que criaram um tumblr, no qual Marty e Rust conversam sobre atualidades, e também uma paródia da abertura, que tem gatos como protagonistas!!! Como não amar?


E para aqueles que assistirem ao programa e ficarem doidos tentando desvendar os mistérios de 'Carcosa', das 'Estrelas Negras' e do 'Rei Amarelo’, aconselho a leitura de 'The King in Yellow', o livro de contos sobrenaturais e de horror escrito por Robert W. Chambers em 1895, que serviu de inspiração para a série. Dá para baixar legalmente e de graça no site do Projeto Gutenberg (tks pela dica, MiH!). Dependendo do seu nível de obsessão e do tempo disponível, recomendo este LINK, que contém uma série de títulos que te ajudam a entender a mitologia e a filosofia que servem de base para a história.

Trailer legendado:

Simplesmente perfeita! Deveria vir com um alerta: CAUSA DEPENDÊNCIA EXTREMA! Vira e mexe me pego lembrando de algumas cenas. Quero ler o livro e rever todos os episódios! 
*******************
Outras séries de suspense que já passaram por aqui:

- Rizzoli and Isles (thriller médico baseado nos livros de Tess Gerritsen)
- The Following (série policial sobre culto liderado por serial killer literato)
- Hannibal (inspirada no famoso personagem de Thomas Harris)
- Bates Motel (suposições de como teria sido a juventude do perturbado protagonista de ‘Psicose’)
- Bag of Bones (minissérie adaptada do livro de Stephen King)
- Dexter (série de investigação que tem como protagonista o perito de laboratório que é serial killer nas horas vagas)
- Black Mirror (minissérie com histórias independentes sobre tecnologia - altamente perturbadora!)
- Copper (série policial na Nova York do século 19, em plena Guerra Civil Americana)
- Ripper Street (no mesmo molde de 'Copper', sua prima americana, inspirada nas mortes de Jack, o Estripador)
- Life on Mars / Ashes to Ashes (série policial britânica e seu spin-off, inspirada na canção de David Bowie!)

 >> Veja outros posts do especial Mês do Suspense!

5 comentários:

Maura C. Parvatis disse...

Mi,
nas últimas semanas tenho lido tanto o nome "True Detective" e TANTOS ELOGIOS que a curiosidade não cabia mais em mim, mas - olha que coisa! - não havia lido nada sobre a série... Até hoje!!! Estava esperando um dia mais tranquilo para pesquisar e consequentemente fazer o download.
Fiquei surpresa ao descobrir que a série é tudo menos o que eu esperava... E, hum, posso dizer que fiquei ainda mais interessada em assisti-la :D

PS: E tem o Matthew McConaughey!!!

Beijos!

Michelle disse...

Maura,
A série é sensacional! Evite mesmo ler sobre ela (se bem que só assistindo para entender). Vai na fé!

Sarah disse...

Caramba! Já ouvi falar bem, mas agora fiquei master curiosa. Ri alto com sua conclusão de "dependência extrema" hahahah!
Ah, e tb gosto do Woody Harrelson. O mais clássico papel dele pra mim é o de Assassinos por Natureza. Adoro a dupla Mickey e Mallory! :)
beijo

Renata Lima disse...

Fiquei viciada também, pena que já acabou a primeira temporada, mas estou super ansiosa pela segunda!
Beijo, Mi!

sofia martínez disse...

A segunda temporada está quase pronto eo elenco é grande, esperamos conseguir dar-nos muitas surpresas nesta série.