quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Resenha: Messenger


Em “Messenger”, terceiro volume da Saga O Doador, os universos do primeiro e do segundo livro começam a se misturar em um novo cenário: uma comunidade fundada por pessoas que foram descartadas em seus locais de origem por serem defeituosas e que tinham a morte certa como destino, mas que, de alguma forma, conseguiram escapar e ganharam uma nova chance neste povoado acolhedor em que as diferenças são respeitadas e as dificuldades são superadas com a ajuda de todos. Este sim parece o lugar ideal para se viver. Mas, claro, não existe perfeição e a felicidade é algo que incomoda certas pessoas...

A trama começa alguns anos depois do final de “Gathering Blue”, e o protagonista agora é Matty, o garoto remelento e brigão do livro 2 que cresceu, ganhou uma nova sílaba em seu nome, aprendeu a ler e a escrever e passou a morar com o “Vidente”, personagem importante que apareceu no fim do livro anterior, já indicando o rumo que a história tomaria em seguida. Nesta nova fase de sua vida, Matty se tornou um jovem responsável, que ajuda o "Líder" levando mensagens por toda a vila e até os povoados vizinhos. Ele se sente feliz fazendo isso e está ansioso para saber qual será seu "nome verdadeiro”, aquele atribuído pelo Líder a todos os habitantes conforme eles encontram sua função ideal na comunidade. Secretamente, Matty torce para que seja batizado como “Mensageiro”.

O Líder é uma pessoa muito respeitada e querida no vilarejo, e foi escolhido por sua habilidade de “ver além” e pelas sábias decisões que colaboraram para criar o senso de comunidade e unir os moradores. Ele está preocupado porque notou certas alterações nos rios e na floresta e, além disso, precisa lidar com um comportamento estranho que vem observando nos participantes da Feira de Trocas. Ainda sem saber bem o que está rolando, ele investiga e mantém ouvidos apurados e olhos abertos, sentindo que algo ruim está para acontecer. Em pouco tempo sua intuição se mostra verdadeira e ele então envia Matty ao povoado vizinho, para buscar uma pessoa especial: Kira.

Os perigos enfrentados por Matty e Kira na floresta são o ponto alto da saga. É em meio a árvores que se movem, cipós que agarram, areia movediça e espinhos envenenados que a dupla fortalece sua amizade e Matty precisa utilizar não apenas todo seu conhecimento da área e força física, mas também sua habilidade real. Como um verdadeiro herói, ele desenvolve em plenitude seu dom num momento de crise e comprova o que já era possível vislumbrar desde o início em sua personalidade: seu coração é grande demais para caber no peito.

Sem sombra de dúvida, “Messenger” é meu livro favorito da série e confirmou o que eu já sentia desde o volume anterior: Matty é o melhor personagem de toda a saga. Nesta terceira aventura, Lois Lowry conseguiu criar um mundo perfeito em sua imperfeição, resgatar um personagem do primeiro livro e inseri-lo de forma conveniente na nova fase, trazer de volta a carismática protagonista do livro dois e seu melhor amigo (agora transformado em foco da trama), combinar com eficiência os dons de cada personagem para justificar o desfecho e ainda avançar um passo nas discussões éticas e morais levantadas nos livros anteriores. Poderia ter parado por aqui e teria sido irretocável. Mas ainda há outro livro, então amanhã eu falo de “Son”, o encerramento da quadrilogia.


O livro mais emocionante da série. Lindo, lindo, lindo!

Este post faz parte do Desafio Literário Skoob 2014 - Mês de Setembro: Séries. Para ver a lista de obras selecionadas e outros posts do DLSkoob2014, clique AQUI. 

Veja também:
Post do Filme: O Doador de Memórias
Resenha do Livro 1 - O Doador
Resenha do Livro 2 - Gathering Blue
Resenha do Livro 4 - Son

2 comentários:

Carina Valois disse...

Quando será lançado no Brasil?????

Dani Theodoro disse...

Ja existe versao traduzida?