segunda-feira, 22 de setembro de 2014

TAG: Educação Sentimental

Depois de um tempo sem postar tags, eis que fui convocada pela Tati para responder à Tag Educação Sentimental, criada pelo Bruno Milk do blog O Espanador. A ideia é escolher livros que serviram de porta de entrada para o complexo mundo dos relacionamentos amorosos.




O primeiro livro que escolhi trazia amores adolescentes de uma turma que era o sonho de qualquer jovem do comecinho dos anos 90: amigos que estavam sempre juntos apesar das diferenças, tão dispostos a curtir uma festa quanto a oferecer um ombro amigo quando alguém enfrentava a separação dos pais, uma mudança repentina e, claro, problemas do coração: o fim de um namoro, traições, dúvidas sobre a primeira vez. Identificação total com os dramas dos personagens.

Minha segunda escolha é do tipo que fazia com que meus amigos corressem para as montanhas diante da possibilidade de leitura obrigatória, mas que eu lia simplesmente porque gostava. Por um bom tempo durante a adolescência, os escritores românticos fizeram minha cabeça. Achava o máximo os personagens que sofriam por amor, tinham uma visão da mulher ideal (que obviamente não dava a mínima para eles), os amores impossíveis e os finais trágicos. Provavelmente vem daí o meu desprezo por finais felizes. Desfecho bom é quando um dos amantes morre (mais preferencialmente os dois).


Aqui mais um exemplo de relacionamento amoroso que fez parte da minha formação sentimental. Mais uma vez, final infeliz. Bentinho e Capitu também formavam um casal impedido de se amar por causa de seus pais (mais precisamente, da mãe de Bento). Um amor proibido que acaba por fim triunfando e... epa! Com este livro descobri mais uma forma infelicidade amorosa: o ciúme. Não teve mortes dramáticas, mas foi igualmente triste. Pronto, mais um para minha lista de ‘boas’ influências... rs

Quem mais respondeu à tag:
- Rafael Menezes, O Espanador
- Jéssica, O Feminino dos Livros
- Paula, Pipa Não Sabe Voar
- Aline, Little Doll House


5 comentários:

Aline Aimée disse...

Olá, Michele!
Também respondi à TAG e Dom Casmurro também foi uma das minhas respostas.
Confesso que não consegui terminar o "Amor de Perdição", rsrs.

Beijinhos!

Tati disse...

Adorei as respostas MiG :D
Não conhecia esse livro, Histórias da Turma, fiquei com vontade de ler, parece ótimo.
Acho que só li um livro da Márcia que foi Revolução em mim e adorei a história de amor do casal principal. Era adolescente mas não tinha nada de mesmice.
Eu vou confessar que nunca consegui terminar Amor de Salvação hahaha Mas nessa época também adorava os românticos, enquanto todo mundo detestava o tio Zé de Alencar eu amava! Na escola só era indicado ler Senhora, que caía no vestibular do primeiro ano, mas acabei lendo todos os livros dele rsrsrs
Capitu <3 É meu romance preferido do Machado, preciso reler!!
Beijos!

Ana Leonilia disse...

Que tag gostosa de ler, Michelle! :)

Ainda lembro qual foi o livro que me iniciou nesse universo das relações amorosas: "O Primo Basílio". Depois dessa leitura, me apaixonei pelos romances Realistas.

Bjs ;)

Jacqueline Braga disse...

Oie Mi
Achei a tag super diferente
Nunca li Dom Casmurro, mas saber que o final foi triste, fiquei bem curiosa pra ler.
bjos
www.mybooklit.com

Carissa Vieira disse...

Preciso ler Don Casmurro.
Gosto do Machado, mas nunca li esse livro. Um absurdo.

Gostei da tag. Não conhecia.

Beijos,
Carissa